Ignorância

16 / 91

Uma máquina como esta

Um lisboeta foi passear ao Alentejo e grita em cima duma potente mota:

- Quem é que já viu uma máquina como esta?

Os alentejanos olham admirados e não respondem. O lisboeta vai gritando como um louco, por toda a aldeia:

- Quem é que já viu uma máquina como esta?

Mais adiante, o lisboeta e a máquina vão contra um muro. Então, um alentejano que o tinha ouvido, diz-lhe:

- Bem feito! É para não se armar em vaidoso…

Ao que ele todo magoado, responde:

- Mas eu só estava a perguntar quem é que já tinha visto uma máquina como esta, para me dizer onde eram os travões…

Mais anedotas de ignorância

66 / 91

Uma corrida

Estava um Fiat Punto a andar na estrada quando de repente devido a uma avaria, para na berma da estrada.

Após algumas horas e sem rede no telemóvel, vê um Ferrari e pede ajuda para ser rebocado.

Depois de montado, devido à baixa velocidade do Fiat, o dono do mesmo, diz que acende os piscas para o Ferrari abrandar de velocidade.

Pelo caminho, o dono do Ferrari aumentava a velocidade e segundos depois o outro acendia os piscas para o Ferrari abrandar.

Alguns minutos depois passa um Lamborghini e com o objetivo de ser mais rápido o Ferrari acelera a fundo.

Com esta corrida só se via os piscas a ligarem e a desligarem do dono do Fiat.

Ao passar pelo radar de velocidade, já na Câmara Municipal, os vigilantes dizem um para o outro:

- Acabaste de ver o que eu vi?

- Sim, estava um Ferrari e um Lamborghini a fazer uma corrida e atrás vinha um Fiat Punto a fazer sinal que queria ultrapassar!
53 / 91

Uma caixa muito pesada

Seis homens carregam uma caixa muito pesada pelas escadas de um prédio muito alto, já no quarto andar um deles resolve ir ver quantos andares faltam. Volta e diz:

- Tenho duas notícias… Uma boa e uma má! Um deles responde:

- Conta só a boa, a má contas quando chegarmos!

- Ok, faltam ainda 6 andares.

Continuam a subir e quando chegaram ao décimo andar um deles pergunta:

- Qual é a outra notícia?

Ele responde:

- O prédio não é este!
18 / 91

Não há razão para alarme!

Num avião de uma companhia internacional, um dos reatores rebenta no ar. Os passageiros entram em pânico. Logo a seguir rebenta outro. O pânico acentua-se. Da cabine dos pilotos vem a mensagem apaziguadora do comandante:

- Senhores passageiros, não há razão para alarme, agradeço que permaneçam nos seus lugares, a situação está completamente controlada.

Nisto rebenta o terceiro reator. O chefe da cabine sai a correr do fundo do avião com três mochilas na mão. Um dos aflitos passageiros arranja interpela-o:

- Desculpe, isso que leva aí é o quê?

- São para-quedas para a tripulação… – responde o tripulante.

Exclama o passageiro:

- Mas o capitão acabou de dizer que está tudo sob controle!

E responde o tripulante:

- E está! Nós vamos só sair um bocadinho para ir buscar ajuda…