Anedotas Club

Anedotas de Loucos

6 / 16

Vou-te apanhar!

Um homem estava passando à frente de um hospício, quando de repente olha para o muro e vê a metade da cabeça de um louco olhando para ele. O louco então diz:

- Eu vou te apanhar!

O homem nem liga e continua a andar. O louco diz de novo:

- Eu vou te apanhar! Cuidado!

O homem fica meio apreensivo e apressa o passo, até que ele diz de novo:

- Eu vou te apanhar! - e de repente solta o muro do hospício.

O homem corre e o louco segue-o atrás. Começa uma verdadeira perseguição, o homem fugindo do louco e o louco indo atrás dele, estando cada vez mais perto a cada passo dado. Até que chega uma hora em que o homem se vê encurralado num beco sem saída, e o louco chega cada vez mais perto. Então o homem fica desesperado e começa a gritar:

- Por favor, não me mate! Por favor!

O louco chega ao pé do homem, toca nele e diz:

- Apanhei-te, agora és tu! - e sai a correr.

Mais anedotas de Loucos

Contas com dinheiro

Na escola, o professor pergunta ao aluno:

- Vamos imaginar que tu tens um euro no bolso e pedes ao teu pai mais um euro. Com quantos euros ficas?

- Com um euro. – responde o aluno.

O professor, irritado, diz:

- Não sabes nada sobre matemática!

E responde o aluno:

- E o professor não sabe nada sobre o meu pai!

São todos uns animais!

Um bêbado entra num autocarro e desata a gritar:

- Aqui há minha frente, são todos maricas! Os desgraçados lá atrás são todos cabrões! Os merdas aqui ao meu lado são todos filhos da m**.

O motorista, indignado com a conversa, faz uma travagem brusca, as pessoas desequilibram-se, algumas até caem. O motorista agarra o bêbado pelos colarinhos e ameaça:

- Quem é roto e cabrão aqui?

Responde o bêbado de mansinho:

- Não sei. Agora, com a travagem, misturaste tudo!

Porquê tanta gente?

Um compadre perguntou ao outro:

- O que aconteceu compadre? Porque está tanta gente assim na sua casa? Morreu alguém?

- Sim, compadre, meu burro matou a minha sogra com um coice!

- Haaaa, e toda essa gente conhecia a tua sogra?

- Não compadre, vieram comprar o burro!