Anedotas Club

Anedotas de Crianças

10 / 13

Que grande traquinice!

Desesperado, o director olhou para o relógio e, já sem acreditar que o assistente chegaria a tempo de lhe entregar um documento importante para a reunião que estava prestes começar, ligou ao dito cujo.

Atendeu uma voz de criança meio sussurrante.

- 'Tá?

- O teu pai está?

- 'Tá... - ainda a sussurrar.

- Posso falar com ele?

- Não.

Desconcertado, o director tentou falar com outro adulto:

- E a tua mãe? Está aí?

- 'Tá.

- Ela pode falar comigo?

- Não. 'Tá ocupada.

- Há mais alguém aí?

- Sim... - sussurrou.

- Quem?

- Um polícia.

Um pouco surpreendido, o diretor continuou:

- O que é que o polícia está a fazer aí?

- Ele 'tá a conversar com o papá, com a mamã e com o bombeiro.

Ao ouvir um grande barulho do outro lado da linha, o diretor perguntou assustado:

- Que barulho é esse?

- É do helicóptero que acabou de chegar.

- Um helicóptero!?

- É... ele trouxe uma equipa de busca.

- Meu Deus! O que é que está a acontecer aí? - perguntou o diretor já muito assustado.

E o miúdo sussurrou com um risinho malandro:

- Eles 'tão à minha procura...

Mais anedotas de Crianças

Cantorias

Eram já altas horas da madrugada e um bêbado passava pela rua a cantar e a tocar guitarra. Aí aparece um polícia e diz ao bêbado:

- Pare lá com essa cantoria que você está a acordar toda a vizinhança. Vamos, acompanhe-me!

E diz o bêbado:

- É para já! Pode ser em dó maior?

Check up

Um homem vai à capital para um exame periódico de saúde.

- Você bebe?

- Dois ou três copos de vinho às refeições e um uisquinho à Noite...

- Fuma?

- Dois charutos por dia....

- E... Quanto a sexo?

- Duas ou três vezes por mês.

- Só!? Com a sua idade e a sua saúde? Mais velho sou eu e chegou a ter duas a três vezes por semana.

- Pois... só que você é médico em Lisboa e eu sou padre em Évora.

Uma idosa vai a tribunal

Numa sessão, a defesa da vítima chama a sua avó. Logo que ela chega para testemunhar, o advogado aproxima-se e pergunta:

- Sra. Jones, a senhora conhece-me?

E ela responde:

- Sim, eu te conheço, Williams. Eu te conheço desde jovem, e francamente, tu foste uma grande desilusão para mim. Tu mentiste, traíste a tua mulher e manipulas as pessoas para falarem mal das outras por detrás das suas costas. Tu pensas que és grande coisa, mas não passas de um idiota. E sim, eu conheço-te.

O advogado ficou paralisado. Sem saber o que fazer, ele atravessa a sala e pergunta:

- Sra. Jones, a senhora conhece a vítima?

- Sim, eu o conheço, é meu neto. Eu conheço-o desde criança. Ele é preguiçoso, antipático e tem um problema com a bebida. Ele não consegue ter uma relação normal com ninguém e é a pior pessoa do estado porque nunca cumpre com a lei. E para não falar que ele já traiu a sua mulher com outras três. Uma delas é a tua mulher, Williams. E sim, eu conheço-o.

A defesa voltou a sentar.

O juiz aproxima-se dos seus colegas de trabalho e dos advogados e exclama baixinho:

- Se algum de vocês pergunta a ela se me conhece, eu vos garanto, e muito bem, que vocês todos passam pela cadeira elétrica, ouviram bem?!