Anedotas Club

Anedotas de Crianças

11 / 13

Aluno "bom" para o pai

O miúdo chega a casa todo contente e diz ao pai:

- Pai, tenho boas notícias!

- Aí sim? Ora conta lá.

- Lembras-te do computador que me prometeste se eu passasse de ano?

- Sim…

- Já não precisas de gastar dinheiro!

Mais anedotas de Crianças

Médico brilhante

Um médico, que não conseguia encontrar emprego, abre uma clínica e coloca uma placa a dizer: "Tenha o tratamento que precisa por 20 euros. Se não ficar curado, dou 100 euros".

Um homem passa pela clínica, e ao ler a placa pensa que é uma grande oportunidade de ganhar 100 euros e entra na clínica.

O homem diz o problema:

- Eu perdi o meu sentido do paladar.

Ao que o médico diz:

- Enfermeira, traga o remédio da caixinha 22 e pingue 3 gotas na boca do paciente.

Ao que o homem responde:

- Credo, isto é apenas xarope para a tosse!

O médico então diz:

- Parabéns, o seu paladar foi restaurado. Dê-me 20 euros.

O homem acaba por ficar irritado, e volta depois de alguns dias para recuperar o seu dinheiro:

- Eu perdi a minha memória, já não me lembro de nada.

O médico:

- Enfermeira, traga o remédio da caixinha 22 e pingue 3 gotas na boca do paciente.

O homem:

- Mas aquilo é o xarope para a tosse de novo. Você deu-me isso da última vez para restaurar o meu paladar!

O médico:

- Parabéns, você recuperou a sua memória. Dê-me 20 euros.

O homem, já fumegante, paga o chinês, e volta uma semana mais tarde determinado a ganhar os 100 euros.

O homem:

- A minha visão está muito fraca, e eu não consigo ver nada.

O médico:

- Bem, eu não tenho nenhum remédio para isso, sendo assim tome 100 euros.

O homem:

- Mas isto é uma nota de 20 euros!

O médico:

- Parabéns, a sua visão foi restaurada. Dê-me os 20 euros.

A pesca

No hospício, o doido, sentado num banquinho, segura uma cana de pescar mergulhada num balde de água.

O médico passa e pergunta:

- O que é que estás a pescar?

- Otários, doutor - responde o doido.

- E já pegou algum? - pergunta o médico rindo.

- O senhor é o quinto.

Sem queixas

Num bar, um sujeito diz a outro:

- Em quarenta anos de trabalho servi milhares de clientes e nunca um único deles se queixou!

- Ena, sim senhor… E que faz você?

- Sou cangalheiro.