Anedotas Club

Anedotas de Políticos

9 / 13

São todos do mesmo

O Joãozinho estuda numa escola pública.

Um dia destes chega contente à escola.

A diretora, vendo a alegria do menino, pergunta:

- Joãozinho, de onde vem tanta alegria?

Joãozinho responde:

- É que a minha cachorrinha ganhou 8 cachorrinhos e são todos do partido do Primeiro-Ministro.

A diretora ficou esfuziante, e disse:

- Que bom, Joãozinho. Na próxima semana seremos visitados pelo Primeiro-Ministro e ele ficará contente em saber isso. Quando ele estiver aqui, tu vens e contas a nós. Certo Joãozinho?

Na semana seguinte, o Primeiro-Ministro visita a escola e, conforme o combinado, o Joãozinho diz:

- Primeiro-Ministro, diretora, sabiam que a minha cachorrinha ganhou 8 cachorrinhos e 4 são do seu partido?

A diretora, espantada, pergunta:

- Mas, Joãozinho, tu não me tinhas dito que eram 8?

Responde o menino:

- Eram sim, diretora, mas é que 4 já abriram os olhinhos.

Mais anedotas de Políticos

Presidente da República e a tragédia

O Presidente da República faz uma visita a uma escola e entra numa sala de aula no meio de uma discussão sobre significado das palavras.

A professora pergunta ao Presidente se ele gostaria de conduzir o tema na discussão da palavra "Tragédia".

Ele aceita e pede à turma que lhe dê um exemplo de tragédia.

Um garoto se levanta e diz:

- Se meu melhor amigo está brincando na rua e um carro o atropela, isto seria uma tragédia.

- Não - diz o Presidente - isto seria um acidente.

Uma rapariga levanta a mão.

- Se um autocarro escolar levando cinquenta crianças - pergunta ela - caísse na ribanceira, matando todo mundo, isto seria uma tragédia?

- Também não - explica o Presidente - Neste caso, seria uma grande perda.

A sala fica em silêncio.

Nenhum voluntário.

O Presidente olha para a turma:

- Não há ninguém aqui que pode me dar um exemplo de tragédia?

Finalmente, lá no fundo da sala, o Joãozinho levanta a mão.

Com uma voz tranquila ele diz:

- Se o avião presidencial, levando o senhor e a sua mulher, fosse atingido por um míssil, matando todos os ocupantes, isto seria uma tragédia!

- Fantástico! - exclama o Presidente - correto! E você pode me dizer por que seria uma tragédia?

- Bem, - diz o Joãozinho - porque não seria um acidente, e também não seria uma grande perda!

Casamento

Faltavam dois dias para o casamento, e o noivo vai procurar o padre:

- Padre, eu vim aqui propor um negócio. Eu trouxe mil euros, mas em troca gostava que o senhor tirasse algumas palavras do discurso de casamento, como "amar, honrar, ser fiel, …" Basta não dizer essas partes!

O padre aceita o dinheiro, e o noivo fica satisfeito.

Quando chega o dia do casamento, o padre olha para o noivo e diz:

- Promete viver apenas para ela, obedecer a cada uma das suas ordens, levar o café à cama todos os dias e jurar perante Deus que nunca terá olhos para outra mulher?

O noivo, sem palavras, acaba por concordar.

Mais tarde, durante a festa, chama o padre para um canto:

- Então? Eu pensei que tínhamos feito um acordo?!

O padre devolve-lhe os mil euros:

- Sinto muito, meu filho. Mas ela triplicou a tua oferta!

Isso é demais!

Um empresário encontra o amigo Ministro:

- Então, pá? Há quanto tempo?!

- Olha, olha… Está tudo bem?!

- Nem por isso. O meu filho está desempregado. Eras homem para desenrascar o miúdo?

- E que habilitações ele tem?

- Tem o 12.º completo.

- E o que ele sabe fazer?

- Nada. Sabe ir para a discoteca e deitar-se às tantas da manhã!

- Posso arranjar-lhe um lugar como assessor. Fica a ganhar 4.000 euros. Agrada-te?

- Isso é muito dinheiro. Com a cabeça que ele tem, era uma desgraça…

- E um lugar de secretário? Ganha 3.000.

- Ainda é muito. Não tens nada para 600 euros?

- Eh, pá… Para esse ordenado tem de ser licenciado, falar Inglês, dominar informática e tem que ir a concurso.