Anedotas Club

Anedotas de Ignorância

91 / 91

Peixinho frito

Um homem muito pobre, que passava os dias a pedir de porta em porta, um dia bate à porta de uma senhora bastante rica…

- Minha senhora, dê-me qualquer coisa para comer…

A senhora:

- Gosta de peixe frito de um dia para o outro?

- Gosto sim - prontamente responde o pobre…

Ao qual a senhora diz:

- Então venha cá amanhã que eu vou fritá-lo hoje!!!

Mais anedotas de Ignorância

As promessas do politico

Certo dia um político de direita, em plena campanha eleitoral deslocou-se ao Alentejo.

O homem falava e ninguém batia palmas, então passou a fazer promessas e mesmo assim... nada, ninguém se manifestava. Já desesperado tentou a última promessa que no Alentejo não devia falhar... o homem disse em plenos pulmões:

- E eu... prometo... que... se for eleito... aqui no Alentejo... os Alentejanos... só trabalham 1 dia por ano...

Mesmo assim ninguém se mexeu, apenas se ouviu uma voz lá no fundo:

- ATÃO E AS FÉRIAS PAH... NÃO HÀ???

Uma corrida

Estava um Fiat Punto a andar na estrada quando de repente devido a uma avaria, para na berma da estrada.

Após algumas horas e sem rede no telemóvel, vê um Ferrari e pede ajuda para ser rebocado.

Depois de montado, devido à baixa velocidade do Fiat, o dono do mesmo, diz que acende os piscas para o Ferrari abrandar de velocidade.

Pelo caminho, o dono do Ferrari aumentava a velocidade e segundos depois o outro acendia os piscas para o Ferrari abrandar.

Alguns minutos depois passa um Lamborghini e com o objetivo de ser mais rápido o Ferrari acelera a fundo.

Com esta corrida só se via os piscas a ligarem e a desligarem do dono do Fiat.

Ao passar pelo radar de velocidade, já na Câmara Municipal, os vigilantes dizem um para o outro:

- Acabaste de ver o que eu vi?

- Sim, estava um Ferrari e um Lamborghini a fazer uma corrida e atrás vinha um Fiat Punto a fazer sinal que queria ultrapassar!

Desaparecimento da sogra

O homem entra na esquadra, dirige-se ao balcão e diz:

- Queria reportar o desaparecimento da minha sogra.

- Com certeza. Quando é que ela desapareceu?

- Há duas semanas?

- Duas semanas? Como assim? E você só agora é que vem participar o desaparecimento?

- Sabe como é... Eu nem conseguia acreditar que tivesse tido tanta sorte...