Anedotas Club

Anedotas de Joãozinho

9 / 17

A grande viagem

A professora aponta para o mapa e diz:

- Hoje vamos até a Coimbra - disse a professora.

E então diz o Joãozinho:

- Ó professora, espere um bocadinho tenho de avisar os meus pais!

Mais anedotas de Joãozinho

As drogas na Terra

Jesus, muito preocupado, chama os seus discípulos para uma reunião de emergência dado o alto consumo de drogas na Terra. Depois de muito pensar, chegam à conclusão de que o melhor para poderem enfrentar o problema é provar a droga eles mesmos e depois tomar as medidas adequadas. Decide-se que uma comissão de discípulos desça ao mundo e recolha diferentes drogas. Efetua-se a operação secreta e dois dias depois começam a regressar os comissários.
Jesus espera à porta do céu quando chega o primeiro discípulo:

Quem é?
- Sou Paulo.
Jesus abre a porta.
- E o que trazes, Paulo?
- Trago haxixe de Marrocos.
- Muito bem, filho. Entra.

Quem é?
- Sou Marcos.
- E o que trazes, Marcos?
- Trago marijuana da Colômbia.
- Muito bem, filho. Entra.

Quem é?
- Sou Mateus.
- E o que trazes, Mateus?
- Trago cocaína da Bolívia.
- Muito bem, filho. Entra.

Quem é?
- Sou João.
Jesus abre a porta e pergunta de novo:
- E tu, o que trazes, João?
- Trago crack de Nova Iorque.
- Muito bem, filho. Entra.

Quem é?
- Sou Lucas.
- E o que trazes, Lucas?
- Trago speeds de Amesterdão.
- Muito bem, filho. Entra.

Quem é?
- Sou Judas.
Jesus abre a porta.
- E tu, o que trazes, Judas?
- TRAGO A JUDICIÁRIA!! TODOS CONTRA A PAREDE!!

Férias

Num belo dia, a sogra bate à porta da casa de seu genro, de mala feita. O homem vai atender e fica surpreso com a visita. A sogra estranha a reação do genro e pergunta:

- Porquê a surpresa? A minha filha não avisou que eu ia passar as férias aqui convosco?

E diz o homem:

- Sim, disse. Mas eu pensei que fossem só para passar os meus soluços!

Um a dez

Um psicólogo estava a fazer testes para a admissão de candidatos para uma empresa. Entra o primeiro candidato:

- O senhor pode contar até dez, por favor?

- Dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um.

- Por que é que contou de trás para a frente?

- É que eu trabalhava na NASA.

- Sinto muito, mas está reprovado.

Entra o segundo candidato:

- O senhor pode contar até dez, por favor?

- Um, três, cinco, sete, nove, dois, quatro, seis, oito, dez!

- Por que você contou primeiro os ímpares e depois os pares?

- Porque eu trabalhava como carteiro.

- Sinto muito, mas está reprovado.

Entra o terceiro e último candidato:

- Bem, antes de começarmos, pode-me dizer o que fazia no emprego anterior?

- Era funcionário público.

- Ok! O senhor pode contar até dez, por favor?

- É claro! Dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez, valete, dama, rei e ás.