Anedotas Club

Anedotas de Religião

6 / 16

Risco no sete

Até os nossos dias, muita gente, quando escreve o número sete, coloca um traço na metade da perna do algarismo. Qual será a origem desse costume?

Para responder, temos que voltar muitos séculos atrás, aos tempos bíblicos, quando Moisés estava no Monte Sinai e lhe foram ditados os dez mandamentos.

Em voz alta, ele foi anunciando para a multidão, um por um. Quando chegou no sete, Moisés disse:

- Não desejarás a mulher do próximo!

Fez-se um breve silêncio... E a multidão rompeu, gritando em coro:

- Risca o sete, risca o sete!

Mais anedotas de Religião

Filhos sem nada para comer

Havia uma família em que o marido chegava a casa e os filhos estavam todos a chorar com fome. E a mulher dizia sempre assim:

- Então Joaquim, o que trouxestes hoje para a gente comer?

- Não trouxe nada!

- Então os miúdos estão a chorar com fome?!

- Espera aí, que eu vou já resolver! Chama lá o mais pequeno!

Ele puxa uma cadeira, põe o miúdo ao colo e diz:

- Então filho?! O que é que dizias agora a um bife com batatas fritas?

- Aí, meu pai! Era tão bom!

- Ah, então depois uma sopa assim bem quentinha?!

- Aí, era uma maravilha!

- Ah, e depois da sopa assim um gelado?!

O miúdo não disse nada. O homem, ao ver que este já estava a dormir diz:

- Maria, traz-me o outro que este já jantou!

O que diriam?

Uma loira vai ao zoo com o novo namorado, e pergunta a ele:

- Que diriam estes tigres, se pudessem falar?

Responde o namorado:

- Olha, certamente, diriam assim: “Oh tonta, não vês que somos zebras!”

Jardins zoológicos

Um menino pede à mãe:

- Mãe, pode me levar hoje no jardim zoológico?

E a mãe responde:

- Não, filho. Quem quiser te ver, que venha aqui a casa.