Anedotas Club

Anedotas de Polícia

1 / 14

Passou num vermelho!

Um homem é parado pela polícia:

- O senhor passou num semáforo vermelho!

- O quê? Não passei nada! Eu não vi!

- Passou sim, que eu vi! Quero ver os documentos do carro!

- Não tenho!

- Não tem?! Como não tem?!

- Como é que eu ia ter se o carro é roubado?!

- Roubado?! Saia já do carro!

- Afinal lembrei-me! Eu tenho os documentos! Estão no porta-luvas ao lado da pistola!

- O quê?! Uma pistola?

- Então?! Para matar o dono do carro!

- Você matou o dono do carro?!

- Sim, e pus o corpo no porta-bagagens!

Com a situação, o polícia chama reforços. Quando o chefe do polícia chega, ele abre o porta-bagagens e não encontra nenhum corpo. Abre o porta-luvas, não encontra pistola e encontra os documentos. O chefe confuso pergunta:

- Então não tinha dito que tinha morto um homem, tinha uma pistola e tinha roubado o carro?!

- Não! O polícia que me parou é que é um mentiroso! Se calhar também lhe disse que eu parei no vermelho...

Mais anedotas de Polícia

Estivemos

O Joãozinho estava a fazer os trabalhos das férias em casa da avó, quando se depara com a seguinte tarefa: "Escrever uma frase acerca de um passeio dado."

A avó, que estava ao lado, aconselha-o a dizer a frase em voz alta, antes de ela a escrever.

- Está bem - diz o rapaz - Então a frase é: "No domingo passado, eu e os meus pais estivamos na praia."

- "Estivemos" - corrige a avó.

- Não avó! - contraria o Joãozinho - tu não estavas!

Que grande traquinice!

Desesperado, o director olhou para o relógio e, já sem acreditar que o assistente chegaria a tempo de lhe entregar um documento importante para a reunião que estava prestes começar, ligou ao dito cujo.

Atendeu uma voz de criança meio sussurrante.

- 'Tá?

- O teu pai está?

- 'Tá... - ainda a sussurrar.

- Posso falar com ele?

- Não.

Desconcertado, o director tentou falar com outro adulto:

- E a tua mãe? Está aí?

- 'Tá.

- Ela pode falar comigo?

- Não. 'Tá ocupada.

- Há mais alguém aí?

- Sim... - sussurrou.

- Quem?

- Um polícia.

Um pouco surpreendido, o diretor continuou:

- O que é que o polícia está a fazer aí?

- Ele 'tá a conversar com o papá, com a mamã e com o bombeiro.

Ao ouvir um grande barulho do outro lado da linha, o diretor perguntou assustado:

- Que barulho é esse?

- É do helicóptero que acabou de chegar.

- Um helicóptero!?

- É... ele trouxe uma equipa de busca.

- Meu Deus! O que é que está a acontecer aí? - perguntou o diretor já muito assustado.

E o miúdo sussurrou com um risinho malandro:

- Eles 'tão à minha procura...

O baú

O João casou-se com a Joana e no dia do casamento a Joana levou para casa um grande baú. Pediu para que João respeitasse a sua individualidade e nunca abrisse o baú. Durante 50 anos de casamento, o João nunca abriu o baú. No entanto, o João não aguentou e perguntou à Joana o que tinha naquele baú. Ela resolve mostrar o baú. Ao abrir, João viu 60 mil euros e quatro batatas. Curioso, perguntou porquê quatro batatas. Ela confessa:

- De cada vez que te trai, coloquei uma batata no baú.

O João ficou furioso, mas pensou um pouco e disse para si mesmo:

- Vou perdoar… Quatro batatas em 50 anos, significam uma traição a cada 12,5 anos. Então ele perguntou o que significavam os 60 mil euros. Responde a Joana:

- Sempre que o baú ficava cheio de batatas, eu vendia-as.