Anedotas Club

Anedotas de Ignorância

75 / 93

O anão que queria ser atendido

Um anão entra num bar.

Vendo um balcão muito alto, começa aos saltos e a gritar:

- Queria um sumo! Queria um sumo!

Como ninguém aparecia, o anão começa a ficar chateado.

Decide dar a volta ao balcão e, do outro lado, vê outro anão aos saltos a gritar:

- Fresco ou natural? Fresco ou natural?

Mais anedotas de Ignorância

Pessoas malcriadas

A mãe pergunta ao filho:

- Porque é que já não passas tempo com o vizinho?

E diz o miúdo:

- Mãe, você gostava de passar tempo com alguém que fuma, bebe muito e ainda diz asneiras?

- Credo, claro que não! - responde a mãe chocada.

E conclui o miúdo:

- Pois é mãe, ele também não gosta!

Ausências

Diz o chefe da repartição pública para a sua nova secretária particular:

- Espero que, nas minhas ausências esporádicas, a senhora não fique para aí de braços cruzados.

A funcionária:

- Ah, não senhor! Isto agora com os telemóveis nunca nos aborrecemos…

Professora pede boas ações

Uma professora:

- Hoje é o dia mundial das boas ações, portanto, o Joãozinho, o Carlinhos e o Zezinho - que eram os três "melhores" alunos da turma - vão lá fora praticar uma boa ação, e voltam para contar aos colegas o que fizeram, está bem?

Os miúdos lá foram e passado quase uma hora voltaram.

- Então Joãozinho, qual foi a boa ação que praticaste?

- Eu ajudei uma velhinha a atravessar a rua!

- Muito bem, e tu Carlinhos?

- Eu também ajudei a velhinha a atravessar a rua!

- Ah sim? E tu Zezinho?

- Pois… Eu também ajudei a velhinha a atravessar a rua!

- O quê? Os três!? Então e demoraram tanto tempo porquê?

- Não havia maneira do raio da velha querer atravessar a rua!