Anedotas de Família

32 / 57

Vamos almoçar fora

- Ó Maria, hoje vamos almoçar fora!

- Não posso acreditar! E aonde é que vamos?!

- Traz a mesa para o quintal!

Mais anedotas de Família

Observações

Uma mulher vai a uma consulta e diz para o médico:

- Doutor, eu estou me sentindo feia e gorda! O que é que eu tenho?

O médico observa a mulher e responde:

- Razão!

Inspeção a uma quinta

Um agente da ASAE vai a uma propriedade e diz ao dono, um velho agricultor:

- Preciso inspecionar a sua propriedade. Há uma denúncia de plantação ilegal.

O agricultor diz:

- Ok! Inspecione o que quiser, mas não vá àquele campo ali.

E aponta para uma determinada área.

O agente da ASAE diz indignado:

- O senhor sabe que tenho o poder da autoridade comigo?

E tira do bolso um crachá mostrando ao agricultor:

- Este crachá dá-me a autoridade de ir onde quero e entrar em qualquer propriedade. Não preciso pedir ou responder a nenhuma pergunta. Está claro? Fiz-me entender?

O agricultor, muito educado, pede desculpa e volta para o que estava a fazer.

Poucos minutos depois, ouve uma gritaria e vê o agente de autoridade a correr para salvar e sua própria vida perseguido pelo Asdrúbal, o maior touro da quinta.

A cada passo o touro vai chegando mais perto do agente, que parece que será apanhado antes de conseguir alcançar um lugar seguro.

O agente está apavorado.

O agricultor larga as ferramentas, corre para a cerca e grita com todas as forças de seus pulmões:

- O Crachá, mostre-lhe o CRACHÁ!

Amigos, amigos, porcos à parte

Há dois alentejanos que vão à feira de Beja e compram dois porcos, um para cada um.

Então, chegam à aldeia e metem os dois porcos na mesma pocilga.

Entretanto, anoitece e um dos compadres começa-se a lembrar:

"Os dois porcos estão na pocilga. Temos de fazer um sinal aos porcos para saber qual é o porco de um e o porco do outro."

No outro dia, diz um compadre para o outro:

- Compadre, temos de fazer um sinal aos porcos para saber qual é o porco de um e o porco do outro!

- Tá bem!

No outro dia encontram-se, e diz um para o outro:

- Então compadre, já fez o sinal ao porco?

- Já sim senhor! Cortei-lhe metade do rabo.

- Ó compadre, você não quer lá ver que eu fiz o mesmo ao meu?!

- Não há problema compadre! A gente faz outro sinal.

No outro dia:

- Então compadre, qual foi o sinal que fez desta vez ao porco?

- Olhe compadre, cortei-lhe metade da orelha direita!

- Ó compadre, você não quer lá ver que eu fiz o mesmo ao meu?!

- Mas olhe! Deixe lá isso, você fica com o branco que eu fico com o preto!…