Anedotas de Família

48 / 57

Traição

Numa pequena cidade do interior, uma mulher entra em uma farmácia e fala ao farmacêutico:

- Por favor, quero comprar arsénico.

- Arsénico? Mas, não posso vender isso assim, sem mais nem menos! Qual é a finalidade?

- Matar meu marido.

- Para este fim, piorou, minha senhora. Eu não posso vender…

A mulher abre a bolsa e tira uma fotografia do marido, na cama com a mulher do farmacêutico.

- Ah boooom!… Com receita é outra coisa!

Mais anedotas de Família

Como conseguiu?

Num tribunal, pergunta o juiz:

- Então, explique-me como conseguiu arrombar o cofre.

Diz o ladrão:

- Não vale a pena tentar, senhor doutor juiz.

- Não vale? Para seu bem, é melhor que o diga! - avisa o juiz.

E diz o ladrão:

- Não é isso, o senhor é que nunca será capaz de o fazer…

Viborazinha em pânico

A viborazinha entra em casa a correr, apavorada:

- Mãe, mãe!

- Que foi, filhinha?

- É verdade que nós somos venenosas?

- Sim, filhinha, somos venenosas… porque perguntas?

- É que eu mordi a língua…

Se eu soubesse

A esposa diz para o marido:

- Se eu soubesse que você era tão pobre, nem teria casado contigo!

Ao que o marido responde:

- Mas não foi por falta de aviso! Eu sempre te disse: TU ÉS TUDO O QUE TENHO!