Anedotas Club

Anedotas de Família

9 / 56

Sou melhor que você

No meio do almoço de domingo, com a família toda reunida, a patroa grita para a empregada:

- Maria, esta comida está horrível!

O marido fica envergonhado e tenta acalmá-la, mas ela insiste:

- Acho que até eu sou melhor do que você na cozinha!

- Talvez - diz a empregada - mas a senhora que fique a saber que eu sou muito melhor do que a senhora na cama!

- O quê? - assusta-se a mulher - Roberto, seu animal! Não acredito que tu…

- Calma, senhora - interrompe a empregada - quem me disse isso foi o motorista!

Mais anedotas de Família

Tinta fresca

Um pai e um filho foram passear ao Zoo.

Estavam a passear pelos jardins, quando o filho aproxima-se da jaula dos tigres.

O pai diz:

- Cuidado com os tigres!

Passam por outra, mas já a dos leões, e o pai diz:

- Cuidado com os leões!

Continuam a andar, quando passam por uma jaula que tinha a porta aberta e que dizia:

- Cuidado, tinta fresca!

Após ler o aviso o pai grita para o filho:

- Cuidado, cuidado! A tinta fresca fugiu!

Cabelo branco

Uma menina fazia imenso barulho enquanto brincava, até que um dia a mãe se irritou a sério com ela:

- Pára de te comportar mal!

- Ok, desculpa! E mãe, o que é isso no teu cabelo?

- É um cabelo branco!

- E porque é que tens um cabelo branco?

- Porque sempre que tu não fazes o que eu digo eu fico sempre com mais um cabelo branco!

- Ó! Então tu eras pior que eu!

- E porquê?

- Porque a avó está cheia de cabelos brancos!

Maldita carne!

A esposa, grávida, acorda durante a noite e chama o marido:

- Amor… amor!

- O quê?!

- Acorda!

- O que é?!

- Acorda!

Desorientado e assustado, o marido levanta-se e pergunta:

- O que é que aconteceu?!

- Estou com um desejo.

- Desejo?

- Sim… de comer carne de corvo!

- Corvo? Mas onde é que eu vou arranjar um corvo agora?

- Vai ao zoo.

- Estás maluca?! Não vou agora ao zoo. Vou, mas é pintar um frango de preto e depois comes.

- Não vou comer carne de corvo, mas vais-te arrepender se o nosso filho nascer com carinha de corvo.

Passam-se nove meses, chega o dia do parto e, quando o homem vai ver o seu querido filho, vê que o seu herdeiro é negro.

Meio apanhado, cheio de remorsos, corre para casa da mãe a lamentar-se:

- Mãe, eu não quis dar carne de corvo à minha mulher quando ela estava grávida e sentiu esse desejo, e agora o meu filho nasceu negro como o corvo.

A mãe, bem-humorada, acaba por tentar consolar o filho:

- Não chores meu filho! Quando eu estava grávida de ti, tive desejo de comer carne de boi, não consegui… e tu nasceste assim… corno, mas só agora é que se começou a notar.