Anedotas Club

Anedotas de Alentejanos

25 / 29

O pinguim

Um alentejano que morava numa casa à beira da praia encontra um pinguim à sua porta e fica espantado.

Sem saber o que fazer com o bichinho, pergunta ao seu vizinho Joaquim:

- Ó Quim, este animalzinho apareceu de repente à porta de minha casa! O que devo fazer com ele?

E o Joaquim:

- Ó Manuel, você tem que pegar nele e levá-lo ao jardim zoológico!

O Manuel:

- Mas que ótima ideia, Joaquim! Obrigado!

No dia seguinte, o Joaquim vê o Manuel a chegar em casa.

Levava o pinguim com uma coleirinha no pescoço.

Admirado, pergunta ao vizinho:

- Ó Manuel, que diabo você está a fazer com este pinguim? Não o levou ao jardim zoológico?

E o Manuel, sorridente:

- Levei sim e ele adorou! Hoje, vou levá-lo ao cinema!

Mais anedotas de Alentejanos

Avião de grande qualidade

Alguns professores de uma universidade de engenharia foram convidados a entrar num avião.

Após todos se sentarem confortavelmente, eles foram informados de que o avião tinha sido construído pelos seus alunos.

Todos os professores acabam por se levantar e correm desesperadamente para fora do avião, quase em pânico.

Somente um professor permaneceu, sereno, e sentado no seu lugar.

Quando lhe perguntaram o motivo de tanta calma, ele explicou:

- Sei da capacidade dos meus alunos, e se foram eles que construíram, este avião nem vai levantar.

Foi tudo entre família!

O Zé marujo chega a casa, de madrugada, depois de 15 dias no mar, corre para o quarto e deu 3 quecas.

Quando acabou foi beber água e vê a esposa a beber café na sala!

- Amor, não estavas agora mesmo no quarto?

- Não, é a minha mãe que veio fazer-me companhia.

- Mas eu cheguei com saudades, pensei que eras tu e dei-lhe 3 quecas.

A esposa vai ao quarto:

- Então mãe! Porque não disse ao Zé que não era eu?

- Sabes bem que não falo com ele há 5 anos… não era agora que ia falar!

Segundos de loucura

Um tipo comprou um carro topo de gama e estava a dar uma volta numa estrada municipal à noite.

A capota estava recolhida, a brisa soprava levemente pelo seu cabelo e ele decidiu puxar um bocado pelo carro.

Assim que a agulha chegou aos 130 km, ele de repente reparou nas luzes azuis por trás dele.

- "De maneira alguma conseguem acompanhar um Mercedes" - pensou ele para consigo mesmo, e acelerou ainda mais.

A agulha bateu os 150, 170, 180 e, finalmente, os 200 km/h, sempre com as luzes atrás dele.

Entretanto teve um momento de lucidez e pensou:

- "Mas que raio é que eu estou a fazer?!" - e logo de seguida encostou.

O polícia chegou ao pé dele, pegou na carta de condução sem dizer uma palavra e examinou o carro.

- Eu tive um turno bastante longo e esta é a minha última paragem. Não estou com vontade de tratar de mais papeladas, por isso, se me der uma desculpa pela forma como conduziu que eu ainda não tenha ouvido, deixo-o ir!

- Na semana passada a minha mulher fugiu de casa com um polícia - disse o homem - e eu estava com medo que a quisesse devolver!

Diz o polícia:

- Tenha uma boa noite!