Religião

1 / 16

Escorregamento na calçada

Numa certa paróquia havia, para as confissões, um código conhecido por todos os moradores, que era utilizado pelas mulheres quando se confessavam, fazendo com que em vez de dizerem que tinham praticado o adultério diziam antes que tinham escorregado na calçada.

Após alguns anos no serviço, o padre dessa paróquia, já com alguma idade, decidiu reformar-se mas esqueceu-se de falar sobre o código ao substituto. Durante o confessionário, e sem saber da existência do código, o padre não sabia que penitência dar porque não via qualquer mal numa escorregadela na calçada. Ao longo das semanas a ouvir sempre a mesma expressão decidiu que tinha de intervir. Assim acabou por ir falar com o presidente da câmara da região:

- Boa tarde Sr. Presidente, eu vim falar consigo para resolver o problema das calçadas do município. Eu acho que elas estão a precisar de obras, muita gente anda a queixar-se de escorregar na calçada.

O presidente, sabendo do significado, nada disse, apenas começou a rir-se. O padre inconformado nem esperou por uma resposta:

- Olhe que não se devia rir de assuntos sérios, é só perguntar à sua esposa, que só esta semana já escorregou três vezes.

Mais anedotas de religião

13 / 16

O inferno perfeito

Um homem pacato, morre e vai para o inferno.

Ao chegar lá, ele descobre que há um inferno diferente para cada país e ele decide tentar o que castiga menos para passar a sua eternidade.

Primeiro, ele vai ao inferno alemão, vê uma pequena fila de pessoas e pergunta:

- O que fazem aqui?

- Primeiro põem-te numa cadeira elétrica durante uma hora. Depois põem-te numa cama de pregos por mais uma hora e por fim o diabo alemão vem com um chicote e chicoteia-te até à noite.

O homem não gosta do que ouve e vai tentar a sua sorte noutro inferno. Ele passa pelo inferno dos EUA, da Rússia e muitos mais, mas todos eles praticam o mesmo que o inferno alemão.

Ele continua a andar até que descobre uma grande fila no inferno de Angola, era tão longa que fazia lembrar a missa do papa na cimangola.

Muito intrigado, ele pergunta o que fazem nesse inferno e lhe respondem:

- Primeiro põem-te numa cadeira elétrica durante uma hora. Depois põe-te numa cama de pregos por mais uma hora e por fim o diabo angolano vem com um chicote e chicoteia-te até à noite.

Ai, ainda mais admirado, o homem pergunta:

- Mas é exatamente o mesmo tratamento que fazem nos outros infernos. Porque razão é a fila aqui tão grande?

- Porque aqui nunca há eletricidade, portanto a cadeira elétrica não funciona. Os pregos foram encomendados e pagos, mas nunca foram fornecidos, porque os contetores ainda estão no porto, portanto a cama é muito confortável. E o diabo angolano é trabalhador da função pública, por isso vem apenas para assinar o ponto e depois vai embora e não est´ para chicotear os mortos.
8 / 16

Vamos fingir!

O padre e a freira estão viajando pelo Canadá e acabam ficando presos numa tempestade de neve. Por sorte, encontram uma cabana abandonada e resolvem passar a noite ali mesmo.

Como só havia uma cama, o padre improvisa um colchão e deita-se no chão.

Logo ele ouve a voz da freira:

- Padre, estou com frio!

Ele levanta-se, vai até um armário, pega um cobertor, coloca-o sobre a freira e volta a se deitar.

- Padre, ainda estou com frio! - geme a freira.

Ele levanta-se novamente, vai até o armário, pega outro cobertor, coloca-o sobre a freira e volta a se deitar.

- Padre, ainda estou com muito frio! - geme a freira, pela terceira vez.

- Escuta irmã - diz ele, sem se levantar. - Eu tenho uma ideia, já que estamos aqui perdidos, a milhares de quilómetros de distância da civilização e tudo o que fizermos nessa cabana só ficará entre nós dois, que tal se fingíssemos que somos casados?

- Por mim está ótimo! - responde a freira.

- Então, levante-se dessa cama e pegue a porra do cobertor!
4 / 16

Podemos escolher?

Um muçulmano durante o período do Ramadão senta-se junto a um alentejano num voo. Quando o avião desloca começam a servir as bebidas aos passageiros. O alentejano pede um tinto de Borba reserva. A hospedeira depois de servir o vinho pergunta ao muçulmano se quer beber alguma coisa. Este Responde com ar ofendido:

- Prefiro ser raptado e violado por dezenas de mulheres da Babilónia antes que uma gota de álcool toque nos meus lábios.

- O alentejano engasgando-se, devolve rapidamente o copo de tinto à hospedeira e diz:

- Eu também prefiro. Não sabia é que se podia escolher!

Aleatórias

Tricô

22-10-2013 13:56, por Daniel

As promessas do politico

23-10-2013 09:38, por Daniel

Carta de despedida

26-10-2013 12:10, por Daniel

Velhote de gatas

09-11-2013 11:23, por Daniel

Um camelo inteligente

09-01-2014 13:39, por Daniel

Que grande traquinice!

18-01-2014 12:28, por Daniel

Sou uma ervilha!

24-02-2018 17:48, por Daniel
www.000webhost.com