Anedotas de Ignorância

82 / 93

Coincidências

Um criador de galinhas vai ao bar local, senta-se ao lado de uma mulher e pede uma taça de champanhe.

A mulher comenta:

- Que coincidência! Eu também pedi uma taça de champanhe.

- Hoje é um dia especial para mim - diz o fazendeiro - Estou a festejar.

- Hoje é um dia especial para mim também! - diz a mulher - Eu também estou a festejar.

- Que coincidência! - diz o fazendeiro.

Enquanto abrem as taças ele pergunta:

- O que é que a senhora está a celebrar?

- Eu e meu marido há uns tempos que andamos a tentar ter um filho e hoje o meu ginecologista disse-me que estou grávida.

- Que coincidência! - diz o homem - Sou criador de galinhas e durante muitos anos as minhas galinhas não eram férteis. Mas consegui! Elas hoje começaram a pôr ovos férteis.

- Isso é ótimo - diz a mulher - Como é que conseguiu que as suas galinhas ficassem férteis?

- Usei um galo diferente - diz ele.

A mulher sorri, brinda novamente e diz:

- Que coincidência!

Mais anedotas de Ignorância

Desabafe!

O sujeito desabafa no psiquiatra:

- Ai, Doutor… Eu estou ficando louco! Minha mulher é loira, tem 1.70 de altura, olhos verdes, seios fantásticos… Uma delícia!

- Até aí não vejo problema nenhum! - diagnostica o psiquiatra.

- Calma, Doutor… Deixa eu terminar… Ela tá me deixando maluco porque todas as noites vai no Bar do Pedro e dá o maior mole para todos os homens! Vai para cama com o primeiro homem que falar com ela! Eu não estou aguentando isso, Doutor! Pelo amor de Deus, o que eu faço?

- Relaxe! - aconselha ele - Respire fundo… E agora, diga para mim, aonde exatamente fica esse Bar do Pedro?

Conseguiu?

O português vai ao banco com um amigo e enfrenta uma enorme fila.

De repente, o amigo sai para comprar cigarros e volta esbaforido:

- Manuel, Manuel - grita quase sem fôlego - estão roubando o seu carro.

O Manuel sai em disparada e volta dois minutos depois.

- E aí? - pergunta o amigo - conseguiu pegar o cara?

- Não! Mas anotei a placa!

O que foi que eu fiz!

De repente, no carro, deu de encontro com um passarinho e não conseguiu esquivar-se!

Pelo retrovisor, ainda viu o bichinho dando várias piruetas no asfalto até ficar estendido.

Não contendo o remorso ecológico, ele parou a moto e voltou para socorrer o bichinho.

O passarinho estava lá, inconsciente, quase morto.

Era tal a angústia do motociclista que ele recolheu a pequena ave, levou-a ao veterinário, foi tratada e medicada, comprou uma gaiolinha e levou-a para casa, tendo o cuidado de deixar um pouco de pão e água para o acidentado.

No dia seguinte, o passarinho recupera a consciência.

Ao despertar, vendo-se preso, cercado por grades, com um pedaço de pão e a vasilha de água no canto, o passarinho põe as asas na cabeça e grita:

- Porra, estou tramado! Matei o gajo da mota!