Anedotas Club

Anedotas de Alentejanos

13 / 29

Alentejano tenta tirar carta de condução

Encontram-se dois alentejanos e pergunta um deles:

- Atão compadri, já conseguiu a carta de condução?

Responde o outro:

- Nam. Chumbê no exame...

Pergunta o primeiro:

- Como é que foi isso?

- Ora, cheguê a uma rotunda onde tava um sinal a dizer 30!

- E atão?

- Dê 30 voltas à rotunda.

- E depois?

- Chumbê.

- Atão porquê, contaste male?

Mais anedotas de Alentejanos

O sonho

Um homem estava na cozinha, quando veio a sua esposa toda contente:

- Sabes querido, hoje sonhei que estava a andar de bicicleta!

- Ai sim? Eu sonhei que estava na cama com uma mulher lindíssima, super inteligente, e muito interessante...

- Essa mulher era eu, querido? - interrompe.

- Não, tu estavas a andar de bicicleta!

Vou-te apanhar!

Um homem estava passando à frente de um hospício, quando de repente olha para o muro e vê a metade da cabeça de um louco olhando para ele. O louco então diz:

- Eu vou te apanhar!

O homem nem liga e continua a andar. O louco diz de novo:

- Eu vou te apanhar! Cuidado!

O homem fica meio apreensivo e apressa o passo, até que ele diz de novo:

- Eu vou te apanhar! - e de repente solta o muro do hospício.

O homem corre e o louco segue-o atrás. Começa uma verdadeira perseguição, o homem fugindo do louco e o louco indo atrás dele, estando cada vez mais perto a cada passo dado. Até que chega uma hora em que o homem se vê encurralado num beco sem saída, e o louco chega cada vez mais perto. Então o homem fica desesperado e começa a gritar:

- Por favor, não me mate! Por favor!

O louco chega ao pé do homem, toca nele e diz:

- Apanhei-te, agora és tu! - e sai a correr.

Sou uma ervilha!

Numa cidade do interior, uma pessoa andava tranquilamente na rua. De repente, ele vê uma galinha e começa desesperadamente a correr, apavorado, gritando socorro. Os seus familiares estavam sem saber o que fazer, pois era uma coisa absurda. Então levaram o homem a um psiquiatra.

- Diga-me, qual é o seu problema?

- Doutor, sou uma ervilha e se não me cuido posso ser devorado por uma galinha.

- Ah, sim, é claro. Mas veja bem, o senhor tem duas mãos, não é verdade?

- Sim, mas e daí?

- O senhor já viu uma ervilha com braços?

- Não...

- Duas pernas, como essas que o senhor usa para fugir das galinhas?

- Não... nunca pensei nisso...

- Veja outra coisa, uma ervilha nunca estaria aqui a falar comigo!

- Não acredito doutor! O senhor mudou a minha vida! Eu nunca tinha pensado nisso antes! Agora eu sei que não posso ser uma ervilha, é uma coisa absurda!

Então o homem acaba por ir embora, todo feliz, com a sua identidade redescoberta. Tranquilo, andando pela rua, ele vê outra galinha e sai a correr apavorado de novo, mas desta vez um carro acaba por o atropelar. Foi para o hospital todo magoado e entre as visitas médicas, naturalmente, chamaram o psiquiatra:

- Mas o que é que aconteceu? Você não me disse que agora sabia que não ser uma ervilha?

- Saber eu sei, mas o senhor acha que a galinha já sabe?