Anedotas Club

Anedotas de Família

28 / 56

Um regresso complexo

O camionista passou muito tempo viajando e chegou a casa de madrugada. Como estava com saudades, correu para o quarto, agarrou a esposa e fez amor com ela: 3 vezes.

Quando acabou, foi para a cozinha beber água. Chegando lá encontrou a esposa tomando café.

Intrigado perguntou:

– Amor, tu não estavas agora mesmo no quarto?

– Não, aquela é mãe que veio me fazer companhia enquanto você viajava.

– Teresa! Pelo amor de Deus!

Você nem imagina o que aconteceu! Cheguei morrendo de saudades de ti, corri para o quarto, estava escuro e pensando que fosses tu e fiz amor três vezes com a tua mãe.

A esposa indignada foi correndo para falar com a mãe.

– Mãe! É verdade que o Pedro fez três vezes amor com você, pensando que fosse eu?

– Foi.

– E a senhora não disse nada?

– Tu sabes muito bem que eu não falo com ele há 5 anos, não era agora que eu ia falar!

Mais anedotas de Família

As promessas do político

Certo dia um político de direita, em plena campanha eleitoral deslocou-se ao Alentejo.

O homem falava e ninguém batia palmas, então passou a fazer promessas e mesmo assim... nada, ninguém se manifestava. Já desesperado tentou a última promessa que no Alentejo não devia falhar... o homem disse em plenos pulmões:

- E eu... prometo... que... se for eleito... aqui no Alentejo... os Alentejanos... só trabalham 1 dia por ano...

Mesmo assim ninguém se mexeu, apenas se ouviu uma voz lá no fundo:

- ATÃO E AS FÉRIAS PAH... NÃO HÀ???

Pense bem!

As pessoas que ainda trabalham, perguntam-me muitas vezes, o que é que eu faço todos os dias, agora que estou reformado. Bem, por exemplo, outro dia eu fui tratar de um assunto no meu banco, não demorei muito, foi uma questão de cinco minutos. Quando saí, um polícia estava preenchendo uma multa por mau estacionamento. Rapidamente aproximei-me dele e disse:

- Vá lá, senhor Guarda, eu não demorei mais que cinco minutos! Deus irá recompensá-lo se tiver um gesto simpático para com um reformado!

Ele ignorou-me completamente e continuou a preencher a multa. Aí eu passei-me, e disse-lhe que só tinha demorado 1 minuto, blá blá blá...! Ele olhou-me friamente e começou a preencher outra infração alegando que também não tinha a vinheta comprovativa do seguro. Então levantei a voz para lhe dizer que já tinha percebido que estava a lidar com um polícia idiota e mal formado, e que nem compreendia como é que ele tinha sido admitido na polícia de trânsito! Ele terminou de autuar pela segunda infração, colocando-a no para-brisas, e começou com um terceiro preenchimento. Eu já o estava a chatear há mais de 20 minutos, chamando-o de tudo. Ele, a cada "mimo", respondia com uma nova infração e consequente preenchimento da respetiva multa acompanhada de um sorriso que refletia uma satisfação de vingança! Depois da décima violação eu disse-lhe:

- Tenho pena senhor Guarda, mas tenho que me ir embora! Vem ali o meu autocarro!

Vamos almoçar fora

- Ó Maria, hoje vamos almoçar fora!

- Não posso acreditar! E aonde é que vamos?!

- Traz a mesa para o quintal!