Anedotas Club

Anedotas de Ignorância

86 / 91

Três amigos vão acampar

Três amigos foram passar uns dias ao campo.

No fim da primeira noite, houve um que disse assim:

- Não consegui dormir nada por causa das moscas.

- Eu não dormi por causa dos cães.

- Eu dormi muito bem! Tinha formigas na cama, mas matei uma sem querer e as outras foram todas ao funeral.

Mais anedotas de Ignorância

Que dores de cabeça!

Um mágico trabalhava num navio, fazendo espetáculos para os passageiros. O público era diferente a cada semana, pois o mágico repetia sempre os mesmos truques. O papagaio do capitão via os shows e começava a entender como o mágico fazia os truques. Quando ele entendia um truque, começava a gritar no meio do espetáculo:

- Olha, não olhem para o mesmo chapéu!
- Olha, ele está escondendo as flores debaixo da mesa!
- Hei, porque é que todas as cartas são Às de Espada?

O mágico ficava furioso, mas não podia fazer nada. Afinal de contas era o papagaio do capitão. Então, um dia o navio afundou. O mágico acabou agarrado a um pedaço de madeira no meio do mar e por capricho do destino, junto do papagaio. Eles olharam um para o outro com ódio, mas não proferiram palavra alguma. Isto continuou por vários dias. Finalmente, no quinto dia, o papagaio não se conteve e disse:

- Ok, eu desisto! Onde é que enfiaste o navio?

Filosofia alentejana

Pensamento de um alentejano:

- Penso, logo exausto!

Um Porsche em conta

Um rapaz de 16 anos chega a casa com um Porsche e os pais gritam:

- Onde conseguiste isto?

Ele calmamente responde:

- Acabei de comprar.

- Com que dinheiro? - perguntam - sabemos quanto custa um Porsche!

- Bem - ele disse - este custou 15 euros.

E os pais esbravejaram ainda mais:

- Quem venderia um carro destes por 15 euros?

- A senhora logo acima na rua. Não sei o seu nome, mudou-se para cá recentemente. Ela me viu a passar de bicicleta e perguntou se eu queria comprar o Porsche por 15 euros.

- Santo Deus! - disse a mãe - deve abusar de crianças. Quem sabe o que fará depois? João, vai lá imediatamente, para ver o que está a acontecer.

O pai foi até à casa da senhora e ela calmamente plantava petúnias no jardim. Ele se apresentou como o pai do rapaz a quem ela vendeu o Porsche e perguntou porque razão ela tinha feito aquilo.

- Bem - disse ela - esta manhã o meu marido ligou. Pensei que estivesse viajando em serviço, mas ele fugiu para o Havaí com a secretária e não pretende voltar. Pediu que vendesse o Porsche e lhe enviasse o dinheiro, então eu vendi.