Anedotas Club

Anedotas de Médicos

9 / 12

Quer emagrecer?

Um jovem que queria emagrecer decide ir ao médico.

Ele diz:

- Sr. Doutor, eu quero emagrecer e preciso muito da sua ajuda da sua ajuda!

Ao que o médico diz:

- Isso é fácil, basta abanar a cabeça da esquerda para a direita e vice-versa.

Ele, estranhando, pergunta:

- Quantas vezes? E porquê?

- De forma a rejeitar sempre que lhe derem comida.

Mais anedotas de Médicos

Escorregamento na calçada

Numa certa paróquia havia, para as confissões, um código conhecido por todos os moradores, que era utilizado pelas mulheres quando se confessavam, fazendo com que em vez de dizerem que tinham praticado o adultério diziam antes que tinham escorregado na calçada.

Após alguns anos no serviço, o padre dessa paróquia, já com alguma idade, decidiu reformar-se mas esqueceu-se de falar sobre o código ao substituto.

Durante o confessionário, e sem saber da existência do código, o padre não sabia que penitência dar porque não via qualquer mal numa escorregadela na calçada.

Ao longo das semanas a ouvir sempre a mesma expressão decidiu que tinha de intervir.

Assim acabou por ir falar com o Presidente da Câmara da região:

- Boa tarde Sr. Presidente, eu vim falar consigo para resolver o problema das calçadas do município. Eu acho que elas estão a precisar de obras, muita gente anda a queixar-se de escorregar na calçada.

O Presidente, sabendo do significado, nada disse, apenas começou a rir-se.

O padre inconformado nem esperou por uma resposta:

- Olhe que não se devia rir de assuntos sérios, é só perguntar à sua esposa, que só esta semana já escorregou três vezes.

Mais um bilhete

Uma loira foi ao cinema.

Chega ao balcão e diz:

- Quero mais um bilhete para a próxima sessão.

- Mas já é a quarta vez que está a comprar o bilhete para a mesma sessão! - responde o homem intrigado.

E diz a loira:

- Pois é! Mas cada vez que vou entrar no cinema, está lá um homem que me rasga o bilhete!

Carta de despedida

O pai entra no quarto do filho e vê um bilhete em cima da cama.

Lê bilhete, temendo o pior:

“Pai, é com grande pesar que te informo que fugi com meu novo namorado, o João, um italiano muito lindo que conheci no Algarve. Estou apaixonado por ele. Ele é muito gato, com todos aqueles ‘piercings’, tatuagens e aquela supermoto BMW que comprou há dias. Como sei que não vais consentir com isso, decidimos fugir e ser muito felizes neste mundo. Ele quer adotar filhos comigo, e isso é tudo o que eu sempre desejei para mim. Aprendi com ele que o charro é ótimo, uma coisa natural, que não faz mal a ninguém, e ele garante que no nosso pequeno lar não vai faltar marijuana. O João acha que eu, os nossos filhos adotivos e os seus colegas ‘gays’ vamos viver em perfeita harmonia. Não te preocupes pai, eu já sei cuidar de mim, apesar dos meus 15 anos já tive várias experiências com outros tipos e tenho certeza que o João é o homem da minha vida. Um dia eu volto, para que tu e a mãe conheçam os nossos filhos. Um grande abraço e até algum dia. Do teu filho, com amor.”

O pai quase a desmaiar, continua a ler:

“PS: Pai, não te assustes, é tudo mentira! Estou na casa da Cátia! Só queria te animar um pouco antes que visses as minhas notas escolares, que estão na primeira gaveta. :D”