Anedotas de Idosos

8 / 12

Pense bem!

As pessoas que ainda trabalham, perguntam-me muitas vezes, o que é que eu faço todos os dias, agora que estou reformado.

Bem, por exemplo, outro dia eu fui tratar de um assunto no meu banco, não demorei muito, foi uma questão de cinco minutos.

Quando saí, um polícia estava preenchendo uma multa por mau estacionamento.

Rapidamente aproximei-me dele e disse:

- Vá lá, senhor Guarda, eu não demorei mais que cinco minutos! Deus irá recompensá-lo se tiver um gesto simpático para com um reformado!

Ele ignorou-me completamente e continuou a preencher a multa.

Aí eu passei-me, e disse-lhe que só tinha demorado 1 minuto, blá blá blá…!

Ele olhou-me friamente e começou a preencher outra infração alegando que também não tinha a vinheta comprovativa do seguro.

Então levantei a voz para lhe dizer que já tinha percebido que estava a lidar com um polícia idiota e mal formado, e que nem compreendia como é que ele tinha sido admitido na polícia de trânsito!

Ele terminou de autuar pela segunda infração, colocando-a no para-brisas, e começou com um terceiro preenchimento.

Eu já o estava a chatear há mais de 20 minutos, chamando-o de tudo.

Ele, a cada "mimo", respondia com uma nova infração e consequente preenchimento da respetiva multa acompanhada de um sorriso que refletia uma satisfação de vingança!

Depois da décima violação eu disse-lhe:

- Tenho pena senhor Guarda, mas tenho que me ir embora! Vem ali o meu autocarro!

Mais anedotas de Idosos

O roubo

Dois alentejanos assaltaram um banco, fugiram de carro e, quando se julgaram a salvo, pararam numa estrada secundária a descansar.

Diz um:

- Atão, aproveitamos para contar o dinheiro?

Responde o outro:

- ‘Nã vale a pena essa trabalhêra! Logo no Telejornal dizem quanto é!

Acabou o futebol

Dois amigos se encontram:

- Então?! Pareces preocupado!

- Sim, estou muito - responde o outro - o meu médico disse que eu não posso jogar mais futebol.

- A sério? Ele analisou-te?

- Não, ele viu-me a jogar.

Quanto custará?

Um Prefeito queria construir uma ponte e chamou três empreiteiros: um japonês, um norte-americano e um brasileiro.

- Faço por 3 milhões de reais - disse o japonês - 1 milhão pela mão-de-obra, 1 milhão pelo material e 1 milhão para meu lucro.

- Faço por 6 milhões de reais - propôs o norte-americano - 2 pela mão-de-obra, 2 pelo material e 2 para mim. Mas o serviço é de primeira!

- Faço por 9 milhões de reais - disse o brasileiro.

- Nove?! - espantou-se o Prefeito. - Isso é demais! Por quê?

- 3 para mim, 3 para você e 3 para o japonês fazer a obra!