Anedotas de Idosos

8 / 13

Um voo aterrorizador

Numa terra no meio do deserto havia um aeroporto com apenas uma ligação à cidade principal.

Por ser uma terra pequena só havia dois pilotos disponíveis para essa ligação, o problema é que estes pilotos eram já idosos e usavam uma pala num olho e bengala, por isso, sempre que entravam no avião no início dos voos, os passageiros acabavam sempre por pensar que era uma piada.

Na porta do avião havia placas que acendiam conforme a situação do voo no início da descolagem que diziam: "500 metros para o fim da pista", "200 metros para o fim da pista", "100 metros para o fim da pista", e finalmente "20 metros para o fim da pista" acabando por fazer os passageiros gritarem:

- Ahhhhhhhhhhhh!

E mesmo no fim da pista o avião acaba por levantar e os passageiros suspiram de alívio.

Na cabine o piloto exclama para o outro:

- Quando eles deixarem de gritar ficamos lixados!

Mais anedotas de Idosos

Onde está Deus?

Uma professora pergunta aos seus alunos onde Deus está. O Pedro levanta-se e diz:

- Deus está no céu!

A Maria levanta-se e diz:

- Deus está no céu e no nosso coração!

A professora contente pergunta:

- E tu Joãozinho, não vais dizer nada?

- Vou sim professora! Deus está na casa de banho! - responde o Joãozinho.

- Na casa de banho?! - pergunta a professora.

- Sim, porque a minha mãe está sempre a dizer: "Meu Deus, ainda estás na casa de banho?"

O lado bom

O filho conta para a mãe:

- Mãe, descobri o lado bom da escola!

- E qual é, meu filho?

- O lado de fora.

Árabes e judeus

O árabe vai à loja do judeu para comprar soutiens pretos.

O judeu, pressentindo bons negócios, diz que são raros e poucos e vende por 40 euros cada um.

O árabe compra 6, e volta alguns dias depois querendo mais duas dúzias.

O judeu diz que as peças vão ficando cada vez mais raras e vende por 50 euros a unidade.

Um mês mais tarde, o árabe compra o que resta por 75 euros cada.

O judeu, curioso, pergunta-lhe o que faz com tantos soutiens pretos.

Diz o árabe:

- Corto o soutien em dois, faço dois chapeuzinhos e vendo aos judeus por 100 euros cada.