Anedotas Club

Anedotas de Ignorância

26 / 93

Estupidez genética

Dois homens estão à conversa num bar:

- O meu filho é mais estúpido do que o teu!

- Não é nada! - respondeu o outro.

- Queres apostar?

- Tudo bem. Apostamos 20 euros!

- Ok. Gaspar, anda cá.

- Sim, pai.

- Toma estes 5 euros e vai ali à loja comprar uma televisão a cores.

- Está bem - respondeu o rapaz, saindo depois do bar com os 5 euros na mão.

O outro homem, por sua vez, chama o seu filho e diz-lhe:

- Tomás, vai lá a casa, num instante, e vê se eu lá estou.

- Está bem, pai - responde o filho, saindo igualmente do bar.

Os dois miúdos encontram-se na rua, por acaso, e comentam um com o outro:

- O meu pai é mais estúpido do que o teu!

- Não é nada! O meu é que é!

- Ah, sim? É que o meu pai deu-me 5 euros para comprar uma televisão a cores, e nem sequer disse qual era a cor que queria!

- Então e o meu? - continua o outro - disse-me para ir a casa ver se ele lá estava, e nem sequer me deu a chave!

Mais anedotas de Ignorância

Porque razão?

Numa cidade do interior, o Presidente da Câmara vai ter com um famoso advogado.

- Doutor - começa ele - segundo informações do nosso departamento financeiro o senhor obteve no ano passado quase 1 milhão de euros, é verdade?

- Sim, é verdade - confirma o advogado.

- E segundo esse mesmo departamento o senhor não fez nenhuma contribuição às nossas obras sociais.

- Isso também é verdade, Presidente. Mas, me diz uma coisa, o seu departamento financeiro não lhe informou que a minha mãe morreu de cancro o ano passado e que a conta do hospital ficou em quase 200 mil euros?

- Nã… nã… não, doutor!

- E também não lhe informaram que o meu irmão sofreu um acidente e está paraplégico, tem seis filhos pequenos e a família não tem rendimento nenhum?

- Nã… não… me informaram, doutor!

- E também não lhe informaram que a minha irmã perdeu a sua casa, o seu carro e todos os seus móveis numa cheia?

- Não, não sabia, desculpe-me… eu…

- E se eu não dei nenhum cêntimo para eles, você acha que eu vou dar para as suas obras sociais?

Tudo é relativo

Um macaquinho perguntou à mãe:

- Ó mãe! Porque somos tão feios?

A mãe respondeu:

- Filho, deves agradecer a Deus por sermos assim. Devias ver a pessoa que está a ler esta anedota.

Uma grande surpresa

Três cegonhas estão a voar e uma pergunta a outra:

- Para onde é que vais?

- Vou a casa dum casal que há dez anos está a tentar ter um filho.

- Que bom!

- E tu?

- Eu vou a casa duma senhora que nunca teve filhos. Levo-lhe aqui um lindo rapaz.

- Que bom! Vais deixá-la muito feliz.

- E tu? - perguntaram as duas à terceira cegonha.

- Eu? Eu vou a um convento de freiras. Nunca levo nada, mas sempre lhes prego um susto do caraças!