Anedotas de Loiras

36 / 39

O incêndio

Uma morena, uma ruiva e uma loira escapam a um incêndio fugindo para o telhado do prédio.

Os bombeiros estão na rua, 10 andares abaixo, com um grande pano para que elas saltem.

Os bombeiros gritam à morena:

- Salte! Salte! É a sua única hipótese de sobreviver!

A morena salta e… OOOOLLLÉÉ! Os bombeiros puxam o pano no último instante e… a morena esborracha-se como um tomate.

- Força! Salte! Tem que saltar! - dizem os bombeiros à ruiva.

- Oh não! Vocês vão me fazer a mesma coisa! - responde a ruiva.

- Não! Nós só não gostamos é de morenas! De ruivas gostamos!

- OK - diz a ruiva, ao mesmo tempo que salta.

OOOOOOOOOOOLÉ! Os bombeiros desviam o pano e a ruiva espeta-se no chão, mesmo ao lado da morena.

Finalmente, a loira chega-se à beira do telhado. Mais uma vez, os bombeiros gritam:

- Salte! Tem que saltar!

- Nem pensem! Vocês vão tirar o pano de baixo quando eu saltar! - grita a loira.

- Não! De maneira nenhuma! Tem que saltar! Nós não vamos tirar o pano!

- Olhem - diz a loira - nada do que possam dizer me vai convencer que não vão tirar o pano! Por isso, o que eu quero que façam é que pousem o pano e se afastem todos dele…

Mais anedotas de Loiras

Acusações

No tribunal, no início da sessão:

- Você é um mentiroso!

O outro responde-lhe:

- E você é um vigarista!

Batendo com o martelo, o juiz diz:

- Bom, agora que ambos os advogados foram apresentados, vamos prosseguir com o julgamento.

Um cuco defeituoso

Fui convidado para um jantar com um meu grupinho de velhos amigos.

Jurei à minha mulher que estaria de volta pela meia-noite.

Ela não acreditou mas eu acabei por ir ao jantar.

A refeição foi estupenda, as horas passaram rápido, o sangue já escasseava no meio do álcool e depressa fiquei a ver tudo de pernas para o ar.

Por volta de 3 da manhã, bêbado que nem um cacho, fui para casa.

Mal entrei e fechei a porta, o cuco no hall disparou e cantou 3 vezes.

Rapidamente, percebendo que a minha mulher podia acordar, fiz cu-cu mais 9 vezes.

Fiquei realmente orgulhoso de mim mesmo, por ter uma ideia tão brilhante e rápida, mesmo com uma bebedeira de caixão à cova, para evitar um possível conflito com ela.

Na manhã seguinte, a minha mulher perguntou a que horas tinha chegado e disse-lhe que pela meia-noite.

Não pareceu nem um pouquinho desconfiada.

Ufa!

Daquela já me tinha escapado!

Então ela comentou:

- Amor! Precisamos de um cuco novo!

Quando perguntei porquê, respondeu:

- Bom, esta noite o nosso relógio fez cu-cu 3 vezes e depois disse alto: "Porra! Tou tramado!" Fez cu-cu mais 4 vezes, resmungou e arrotou, cantou cu-cu mais 3 vezes, mandou uma grande gargalhada e cantou mais 2 vezes! Depois bateu com a cabeça na porta do corredor que deixei entreaberta. Entrou no quarto, tropeçou no gato, e só se deitou depois de cair duas vezes ao tentar despir-se! Não achas melhor trocar o cuco enquanto está na garantia?

Um carro em conta

Um rapaz de 16 anos chega a casa com um carro desportivo e os pais gritam:

- Onde conseguiste isto?

Ele calmamente responde:

- Acabei de comprar.

- Com que dinheiro? - perguntam - sabemos quanto custa um Porsche!

- Bem - ele disse - este custou 15 euros.

E os pais esbravejaram ainda mais:

- Quem venderia um carro destes por 15 euros?

- A senhora logo acima na rua. Não sei o seu nome, mudou-se para cá recentemente. Ela me viu a passar de bicicleta e perguntou se eu queria comprar o carro desportivo por 15 euros.

- Santo Deus! - disse a mãe - deve abusar de crianças. Quem sabe o que fará depois? João, vai lá imediatamente, para ver o que está a acontecer.

O pai foi até à casa da senhora e ela calmamente plantava petúnias no jardim.

Ele se apresentou como o pai do rapaz a quem ela vendeu o Porsche e perguntou porque razão ela tinha feito aquilo.

- Bem - disse ela - esta manhã o meu marido ligou. Pensei que estivesse viajando em serviço, mas ele fugiu para o Havaí com a secretária e não pretende voltar. Pediu que vendesse o carro e lhe enviasse o dinheiro, então eu vendi.