Anedotas Club

Anedotas de Idosos

1 / 12

Beijinhos

Num comboio, à frente de um velhinho, ia um casal de namorados na brincadeira.

O rapaz aperta o nariz da namorada e pergunta:

- Dói amorzinho?

- Dói - responde ela.

E então ele dá um beijo no nariz da rapariga e pergunta:

- E agora?

- Agora já passou.

Passados alguns instantes, ele aperta a bochecha da rapariga e pergunta:

- Dói?

- Dói.

Então ele dá-lhe um beijo na bochecha e pergunta:

- E agora?

- Agora já passou.

E continuam assim até que o velho que ia atrás deles, já cansado daquilo, diz:

- Ouve lá, boquinha do Espírito Santo, curas hemorroidas?

Mais anedotas de Idosos

Cabelo branco

Uma menina fazia imenso barulho enquanto brincava, até que um dia a mãe se irritou a sério com ela:

- Pára de te comportar mal!

- Ok, desculpa! E mãe, o que é isso no teu cabelo?

- É um cabelo branco!

- E porque é que tens um cabelo branco?

- Porque sempre que tu não fazes o que eu digo eu fico sempre com mais um cabelo branco!

- Ó! Então tu eras pior que eu!

- E porquê?

- Porque a avó está cheia de cabelos brancos!

Um jantar na selva

O leão e a gazela entram num restaurante na selva e chamam o empregado:

- Eu queria uma salada mista de grama, relva e capim - pede a gazela.

- Pois não. E o senhor, o que vai pedir? - diz o empregado ao leão.

- Nada, obrigado.

- Ele não está com fome? - pergunta o empregado para a gazela acompanhante.

- Você acha que se ele estivesse com fome eu estaria aqui sentada?

Problemas em selos

O Presidente queria um selo com uma foto sua para celebrar o seu primeiro ano de governo.

Ele exigiu um selo de altíssima qualidade.

Os selos são criados, impressos e vendidos.

O Presidente fica radiante!

Alguns dias depois, o Presidente fica furioso ao ouvir reclamações de que o selo não adere aos envelopes.

O Presidente convoca os responsáveis e ordena que investiguem o assunto.

Eles pesquisam as agências dos correios de todo o país e relatam o problema.

Todos dizem:

- Não há nada de errado com a qualidade dos selos. O problema é que as pessoas andam a cuspir do lado errado.