Ignorância

11 / 91

Avião de grande qualidade

Alguns professores de uma universidade de engenharia foram convidados a entrar num avião. Após todos se sentarem confortavelmente, eles foram informados de que o avião tinha sido construído pelos seus alunos. Todos os professores acabam por se levantar e correm desesperadamente para fora do avião, quase em pânico. Somente um professor permaneceu, sereno, e sentado no seu lugar. Quando lhe perguntaram o motivo de tanta calma, ele explicou:

- Sei da capacidade dos meus alunos, e se foram eles que construíram, este avião nem vai levantar.

Mais anedotas de ignorância

82 / 91

Vaca ou vitela?

O cliente diz ao empregado:

- Ouça lá... Isto é vaca ou é vitela?

- O senhor não consegue distinguir pelo sabor?

- Eu? Não!

- Então se não consegue distinguir, que diferença faz?
34 / 91

Poderia aguardar um momento?

Um jovem advogado recém-licenciado, montou um luxuoso escritório num prédio de alto padrão, e colocou na porta uma placa dourada: Dr. António Soares - Especialista em Direito Tributário.

No 1º dia de trabalho, chegou bem cedo, vestindo o seu melhor fato, sentou-se atrás da sua escrivaninha, e ficou aguardando o primeiro cliente.

Meia hora depois batem à porta. Ele pede para a pessoa entrar e sentar-se, e rapidamente agarra no telefone fixo e começa a simular uma conversa:

- Mas é claro, Sr. Mendonça, pode ficar tranquilo! Nós vamos ganhar essa causa! O juiz já deu parecer favorável!... - Sei, sei... Como? Ah, os meus honorários? Não se preocupe! O senhor pode pagar os outros 50 mil na semana que vem!... - É claro!... O que é isso, sem problemas!... O senhor dá-me licença agora que eu tenho um outro cliente à espera... Obrigado... Um abraço!

Volta a colocar o telefone no sítio e diz:

- Bom dia, o que é que o senhor deseja?

- Eu vim instalar o telefone...
20 / 91

Ausências

Diz o chefe da repartição pública para a sua nova secretária particular:

- Espero que, nas minhas ausências esporádicas, a senhora não fique para aí de braços cruzados.

A funcionária:

- Ah, não senhor! Isto agora com os telemóveis nunca nos aborrecemos…