Animais

10 / 12

Um camelo inteligente

Num certo dia entra um homem dentro de uma loja de camelos no meio do deserto. Após pagar, o comerciante deu as indicações:

- Para ele andar diga "Graças a Deus" e para ele para parar diga "Rem".

Após sair da loja, e com o camelo, ele diz "Graças a Deus" e consegue meter o camelo a andar. Após algum tempo a passear com camelo ele avista uma ravina e já não se lembrava da palavra para parar o camelo. Estava a três centímetros de cair com o camelo quando ele se lembra e diz "Rem".

Após conseguir sobreviver, e agradecido por ter escapado da morte, diz:

- Graças a Deus!

Mais anedotas de animais

8 / 12

Falhou

Bom, tinha um pai morcego que resolveu colocar seus filhos para caçar. Manda o primeiro. Voltou com a boca cheia de sangue, seu pai lhe deu os parabéns e pergunto.

- Parabéns, 30 minutos foi muito bem, o que você mordeu?

E o filho reponde:

- Está vendo aquele cachorro ali?

O pai diz:

- Sim.

E o filho responde:

- Fui nele.

Dai o segundo volta depois de 15 minutos com a boca cheia de sangue. Seu pai diz:

- Parabéns 51 minutos!

O que você mordeu?

E o filho responde:

- Ta vendo aquele homem ali? Eu mordi ele.

E o pai feliz diz:

- Parabéns filho.

Dai saiu o terceiro, e dai depois de 3 minutos ele voltou com a boca cheia de sangue, e o pai lhe pergunta:

- Parabéns filho 3 minutos muito melhor que os outros, e lhe pergunta:

- O que você mordeu?

E o filho lhe responde:

- Pai, está vendo aquele muro ali?

E o pai responde:

- Estou!

- Mais eu não vi pai.
3 / 12

O julgamento da toupeira

Um dia na floresta houve um julgamento de uma toupeira que acabou condenada à morte. Quando o dia da execução chegou, perguntaram-lhe:

- Tem algum último desejo?

Ao que a toupeira respondeu:

- Enterrem-me viva!
1 / 12

Um chouriço

Dois caranguejos encontram um chouriço e um deles diz:

- Vamos comê-lo!

E diz o outro:

- Vamos… Mas olha, isto era bom era se tivéssemos um pãozito para acompanhar!

- Pois era! Mas onde é que vamos agora arranjar o pão?

- Tu vais procurá-lo e eu fico aqui a guardar o chouriço!

- Ah, não! Eu já te conheço! Mal eu fosse buscar o pão tu comias o chouriço sozinho!

- Não como nada! Eu só fico aqui a guardá-lo para ninguém o comer! Eu espero por ti!

- Hum… Não sei se devo confiar em ti…

- Confia, confia! Vá, vai lá buscar o pão!

- Pronto, está bem! Mas que nem te passe pela cabeça comeres o chouriço sozinho!

- Não te preocupes!

O caranguejo lá vai e o outro fica a guardar o chouriço, com as tenazes no ar. Passa-se uma hora, duas horas, três horas, uma tarde, um dia, dois dias, três dias, uma semana, duas semanas e um mês!

Finalmente o caranguejo lá se apercebe que o amigo já não vem e decide comer o chouriço sozinho.

Mal ele baixa uma tenaz para dar o primeiro corte no chouriço, salta o outro caranguejo detrás de uma pedra a gritar:

- Ahh Ah! Eu sabia! Já não vou buscar o pão!