Anedotas Club

Anedotas de Ignorância

57 / 93

Porque razão?

Numa cidade do interior, o Presidente da Câmara vai ter com um famoso advogado.

- Doutor - começa ele - segundo informações do nosso departamento financeiro o senhor obteve no ano passado quase 1 milhão de euros, é verdade?

- Sim, é verdade - confirma o advogado.

- E segundo esse mesmo departamento o senhor não fez nenhuma contribuição às nossas obras sociais.

- Isso também é verdade, Presidente. Mas, me diz uma coisa, o seu departamento financeiro não lhe informou que a minha mãe morreu de cancro o ano passado e que a conta do hospital ficou em quase 200 mil euros?

- Nã… nã… não, doutor!

- E também não lhe informaram que o meu irmão sofreu um acidente e está paraplégico, tem seis filhos pequenos e a família não tem rendimento nenhum?

- Nã… não… me informaram, doutor!

- E também não lhe informaram que a minha irmã perdeu a sua casa, o seu carro e todos os seus móveis numa cheia?

- Não, não sabia, desculpe-me… eu…

- E se eu não dei nenhum cêntimo para eles, você acha que eu vou dar para as suas obras sociais?

Mais anedotas de Ignorância

No golfe

Uma loura estava a ter lições de golfe, estava a sair-se muito mal e continuava a mandar a bola para as árvores ou apenas batia na relva com o taco, o instrutor estava já desesperado e finalmente disse:

- Acho que o problema é com o seu "grip" no taco, devia agarrá-lo mais levemente e gentilmente, imagine que o taco é o coiso de um homem.

A loura pensou nisto por um instante, pegou no taco e deu na bola de golfe, esta voou lindamente até ao green e rolou até ao buraco.

O instrutor ficou petrificado e exclamou:

- Essa foi uma tacada genial! Agora, da próxima vez, agarre no taco com as mãos e não com a boca.

Inspeção a uma quinta

Um agente da ASAE vai a uma propriedade e diz ao dono, um velho agricultor:

- Preciso inspecionar a sua propriedade. Há uma denúncia de plantação ilegal.

O agricultor diz:

- Ok! Inspecione o que quiser, mas não vá àquele campo ali.

E aponta para uma determinada área.

O agente da ASAE diz indignado:

- O senhor sabe que tenho o poder da autoridade comigo?

E tira do bolso um crachá mostrando ao agricultor:

- Este crachá dá-me a autoridade de ir onde quero e entrar em qualquer propriedade. Não preciso pedir ou responder a nenhuma pergunta. Está claro? Fiz-me entender?

O agricultor, muito educado, pede desculpa e volta para o que estava a fazer.

Poucos minutos depois, ouve uma gritaria e vê o agente de autoridade a correr para salvar e sua própria vida perseguido pelo Asdrúbal, o maior touro da quinta.

A cada passo o touro vai chegando mais perto do agente, que parece que será apanhado antes de conseguir alcançar um lugar seguro.

O agente está apavorado.

O agricultor larga as ferramentas, corre para a cerca e grita com todas as forças de seus pulmões:

- O Crachá, mostre-lhe o CRACHÁ!

Mê qrido filho

Mê qrido filho.

Escrêvo-te algumas linhas apenas pra saberes questou viva.

Estou-te a escrever devagar, pois ê sei que nâ sabes ler depressa. Nâ vais reconhecer a nossa casa quando voltares. Tê pai leu no jornal que os acidentes acontecem a vinte kilometros de casa, por isso agente mudou-se.

Nâ te posso mandar a morada, porque a última família caqui viveu levou os núeros com ela pra nâ terem de alterar a morada. Temos uma máqna de lavar roupa mas nâ trabalha muito bêm, a semana passada pus lá 14 camisas, puxei a correnti e nunca mais as vi.

Acerca do tê pai, ele arranjou um bom emprego, tem 1500 homens debaixo dêli, pois agora está cortando a relva no cemitério. A magana da tua irmã Maria teve bébé esta semana, mas sabes, ê nâ consegui saber sê é menino ó menina, portanto nâ sei sés tio ó tia. O tê Ti Patrício afogou-se a semana passada num depósito de vinho lá na adêga cuprativa, alguns cumpádris tentaram salvá-lo, porra! Massabes, ele lutou bravamente contra eles. O corpo foi cremado mas levou 3 dias pra apagar o incêndio.

Na quinta fêra fui ao mèdco e o tê pai foi comigo, o médco pós-me um pequeno tubo na boca e disse-me pra nâ falari durante 10 minutos. Atã nâ sabes que o tê pai ofereceu-se logo pra comprar o tubo ao médco. Esta semana só choveu duas vezes, na primeira vez choveu durante 3 dias, na segunda durante 4 dias. Nâ segunda-fêra teve tanto vento quma das galinhas pós o mesmo ovo 4 vezes.

Recebemos uma carta do cangalhêro, que informava que so último pagamento do enterro da tua avó nâ for fêto no prazo de 7 dias, devolvem-na. Olha, mê filho, cuida-ti.

Nâ te esqueças de beber o lête todas as nôtes, antes de enterrares os cornos na fronha.

Um bêjo
Joaquinha do Chaparro

PS: Era pra te mandar 50 êros, mas como jâ tinha fechado o invelope, nâ tos mandei. Olha, fica prâ próxima.