Anedotas Club

Anedotas de Loiras

16 / 36

Exijo um resgate!

A loira não conseguia passar nas entrevistas para nenhum emprego e então resolveu tomar uma atitude extrema para ganhar dinheiro:

- Vou sequestrar uma criança! - pensou! Com o dinheiro do resgate eu resolvo a minha vida!

Ela foi para um parque de baloiços, num bairro de luxo, e quando viu um menino muito bem vestido, puxou-o para trás da moita e foi logo escrevendo o bilhete:

- "Querida mãe isto é um sequestro. Estou com seu filho. Por favor deixe o resgate de 10.000 euros, amanhã, ao meio-dia, atrás da árvore do parque. Ass: Loira sequestradora."

Então ela pegou o bilhete, dobrou-o e colocou no bolso do casaco do menino, dizendo:

- Agora vai lá e entrega esse bilhete para a tua mãe.

No dia seguinte, a loira vai até o local combinado. Encontra uma bolsa. Ela abre, encontra 10.000 euros em dinheiro e um bilhete junto, dizendo:

- "Está aí o resgate que você pediu. Só não me conformo como uma loira pôde fazer isso com outra!"

Mais anedotas de Loiras

Funeral da sogra

A sogra morre e o genro liga para a funerária perguntando quanto seria o total do serviço funerário.

- 10000€! - responde o atendente.

- Mas porque é tão caro assim? - pergunta o genro.

- Foi porque o senhor pediu muitas coisas. Se tirarmos o churrasco, as bebidas, os doces, os salgadinhos e o karaoke, fica muito mais barato.

Vaca ou vitela?

O cliente diz ao empregado:

- Ouça lá... Isto é vaca ou é vitela?

- O senhor não consegue distinguir pelo sabor?

- Eu? Não!

- Então se não consegue distinguir, que diferença faz?

O inferno perfeito

Um homem pacato, morre e vai para o inferno.

Ao chegar lá, ele descobre que há um inferno diferente para cada país e ele decide tentar o que castiga menos para passar a sua eternidade.

Primeiro, ele vai ao inferno alemão, vê uma pequena fila de pessoas e pergunta:

- O que fazem aqui?

- Primeiro põem-te numa cadeira elétrica durante uma hora. Depois põem-te numa cama de pregos por mais uma hora e por fim o diabo alemão vem com um chicote e chicoteia-te até à noite.

O homem não gosta do que ouve e vai tentar a sua sorte noutro inferno. Ele passa pelo inferno dos EUA, da Rússia e muitos mais, mas todos eles praticam o mesmo que o inferno alemão.

Ele continua a andar até que descobre uma grande fila no inferno de Angola, era tão longa que fazia lembrar a missa do papa na cimangola.

Muito intrigado, ele pergunta o que fazem nesse inferno e lhe respondem:

- Primeiro põem-te numa cadeira elétrica durante uma hora. Depois põe-te numa cama de pregos por mais uma hora e por fim o diabo angolano vem com um chicote e chicoteia-te até à noite.

Aí, ainda mais admirado, o homem pergunta:

- Mas é exatamente o mesmo tratamento que fazem nos outros infernos. Porque razão é a fila aqui tão grande?

- Porque aqui nunca há eletricidade, portanto a cadeira elétrica não funciona. Os pregos foram encomendados e pagos, mas nunca foram fornecidos, porque os contentores ainda estão no porto, portanto a cama é muito confortável. E o diabo angolano é trabalhador da função pública, por isso vem apenas para assinar o ponto e depois vai embora e não está para chicotear os mortos.