Anedotas Club

Anedotas de Família

26 / 56

Estiveste sempre comigo!

Um homem estava em coma algum tempo, a sua esposa ficava ao pé dele dia e noite. Até que um dia o homem acorda, faz um sinal para a mulher, para se aproximar e sussurrar-lhe:

- Durante todos estes anos você esteve ao meu lado. Quando me licenciei, você ficou comigo. Quando a minha empresa faliu, só você ficou lá e me apoiou. Quando perdemos a casa você ficou perto de mim. Quando perdemos o carro também estavas comigo. E desde que fiquei com todos estes problemas de saúde, você nunca me abandonou. Sabes uma coisa?

Os olhos da mulher encheram-se de lágrimas:

- Diz amor!

- Acho que tu me dás azar!

Mais anedotas de Família

Contramão

O bêbado entrou no seu carro e saiu em contramão fazendo uma grande confusão no transito até que o Guarda o para e diz:

– Aonde é que o senhor pensa que está a ir?

– Olhe senhor Guarda, eu não sei para onde vou, mas sei que eu estou atrasado!

– Como assim, está atrasado?

– Já estão todos voltando!

A loira e o casaco de peles

Um sujeito entra numa loja de peles com uma loira espetacular. Ele diz ao vendedor:

- Quero que você dê a esta moça a mais linda estola de pele que você tiver nesta loja.

O vendedor mostra algumas à moça, que acaba se decidindo por uma.

Discretamente, o vendedor diz ao sujeito:

- Esta daqui custa 22 mil euros.

- Sem problema! - diz o homem - Emito-lhe já um cheque!

O vendedor desculpa-se:

- O senhor tem que entender que só posso lhe entregar a estola depois que o cheque for compensado. Como hoje é sexta-feira, terá que ser na segunda-feira.

- Entendo perfeitamente! - diz o sujeito - Venho pegá-la na segunda-feira!

Na segunda-feira o sujeito volta na loja.

O vendedor diz-lhe:

- Sinto muito, senhor, mas seu cheque voltou por falta de fundos.

- Eu já sabia. - diz o sujeito. - Eu só vim agradecer-lhe pelo mais fabuloso fim-de-semana da minha vida!

Uma carta ao Pai Natal

Carta de uma criança ao Pai Natal:

“Querido Pai Natal, por favor envia-me um irmão.”

Resposta do Pai Natal:

“Querido João, envia-me a tua mãe!”