Religião

6 / 16

Risco no sete

Até os nossos dias, muita gente, quando escreve o número sete, coloca um traço na metade da perna do algarismo. Qual será a origem desse costume?

Para responder, temos que voltar muitos séculos atrás, aos tempos bíblicos, quando Moisés estava no Monte Sinai e lhe foram ditados os dez mandamentos.

Em voz alta, ele foi anunciando para a multidão, um por um. Quando chegou no sete, Moisés disse:

- Não desejarás a mulher do próximo!

Fez-se um breve silêncio... E a multidão rompeu, gritando em coro:

- Risca o sete, risca o sete!

Mais anedotas de religião

14 / 16

Um pequeno teste

Morrem três raparigas e vão ter com o S. Pedro e este diz:
- Estamos sem espaço e para não entrar toda a gente vou fazer-vos um pequeno teste. Para a 1ª senhora:

Qual foi a 1ª mulher na terra?
- É fácil: foi a EVA.
- Pode entrar.

Para a 2ª senhora:
Qual foi o 1º homem na terra?
- Foi Adão.
- Pode entrar.

E a outra pensa: "Isto é súper fácil!"
- E para si: qual foi a 1ª coisa que Adão disse à Eva?
Diz a mulher muito baixinho:
- É pá, isto é mais difícil do que eu pensava!
- Pode entrar.
5 / 16

"Meu filho"

Quatro homens e uma mulher, católicos, estavam tomando café na Praça de São Pedro.

O primeiro homem falou:

- O meu filho é um padre. Quando entra num recinto o tratam de Padre.

O segundo homem bradou:

- O meu filho é um bispo, e quando ele entra num recinto o tratam de "Sua Graça".

O terceiro homem disse:

- O meu filho é um Cardeal. Quando ele entra num recinto todos inclinam a cabeça e o tratam de "Sua Eminência".

O quarto homem disse orgulhosamente:

- O meu filho é o Papa. Quando entra num recinto o tratam de "Sua Santidade".

Como a única mulher estava saboreando o café em silêncio, os quatro homens dirigiram-se a ela um sutil:

- Então?

Ela orgulhosamente respondeu:

- Eu tenho uma filha, alta, elegante e com 24 polegadas de cintura, e quando ela entra num recinto todos exclamam: "Oh! Meu Deus!"
3 / 16

Não havia!

Um muçulmano devoto entra num táxi. Uma vez sentado, pede ao taxista para desligar o rádio, porque não quer ouvir música, como decretado na sua religião, e porque no tempo do profeta não havia música, especialmente música ocidental, que é música dos infiéis.

O motorista do táxi educadamente desliga o rádio, sai do carro, dirige-se à porta do lado do cliente e abre-a. O árabe pergunta:

- O que é que você está a fazer?

- No tempo do profeta não havia táxis, por isso saia e espere pelo próximo camelo!
www.000webhost.com