Ignorância

74 / 91

Em rota de colisão

Durante manobras de navios espanhóis na costa portuguesa, o seguinte diálogo foi captado e gravado por um radioamador português.

O comandante de um navio espanhol estava perto da costa portuguesa quando avistou uma luz distante e resolveu enviar uma mensagem via rádio:

- "Aqui habla el capitan J. Alonso. El curso de su navio esta en ruta directa con el nuestro. Por favor alteren su curso 15 grados hacia el norte. Cambio".

O português respondeu:

- "Vocês é que estão em rota de colisão connosco. Alterem vocês o vosso rumo 15 graus para sul".

O comandante espanhol ficou irritado e respondeu:

- "Nosotros exigimos que alteren el vuestro curso 15 grados al norte!".

O português insistiu:

- "Alterem o vosso rumo 15 graus para sul".

O comandante (nuestro hermano) ficou irritadíssimo e gritou:

- "AQUI DEL REAL IBER ESP., EL MAYOR PORTA AVIONES DE GUERRA DE LA PENINSULA, DE LA REAL MARINA ESPANOLA - LE REPITO - AQUI DEL IBER ESP. EL MAYOR PORTA AVIONES DE GUERRA DE LA PENINSULA, DE LA REAL MARINA ESPANOLA E ESTAMOS EN MANIOBRAS CON MAS 2 FRAGATAS, 2 DESTROYERS Y NUMEROSOS NAVIOS DE APOYO. LES EXIGIMOS QUE VOSOTROS CAMBIEN RAPIDAMENTE DE CURSO 15 GRADOS HACIA EL NORTE. ESTAMOS PREPARADOS PARA TOMAR TODAS LAS CONTRA - MEDIDAS QUE SEAN NECESSARIAS PARA GARANTIZAR LA SEGURIDAD DE NUESTROS HOMBRES. CONTESTE PRONTO. CAMBIO".

Ao que o português respondeu:

- "E daqui é do Farol do Cabo de S. Vicente. Terminado!".

Mais anedotas de ignorância

61 / 91

Conversa entre vizinhas

- Petra, você está doente? Pergunto porque vi sair um médico de sua casa hoje de manhã.

- Olha lá! Ontem de manhã eu vi sair um coronel da sua casa e não estamos em guerra.
36 / 91

Demasiado poder

Um comandante, achando que os seus subordinados não estavam a respeitar a sua liderança, resolveu colocar a seguinte placa na porta do seu gabinete, logo que chegou pela manhã:

- "Aqui quem manda sou eu!"

Ao voltar de uma reunião, encontrou o seguinte bilhete junto à placa:

- "Sua esposa ligou e disse para o senhor levar a placa dela de volta para casa."
2 / 91

Um fogo difícil

Uns bombeiros foram imediatamente chamados para extinguir as chamas. O fogo estava cada vez mais forte, e os bombeiros não conseguiam dominar as chamas. A situação já estava a ficar fora de controlo, quando alguém sugeriu que se chamasse um grupo voluntário vizinho. Apesar de alguma dúvida quanto às capacidades e equipamento dos voluntários, seria mais uma forma de auxílio. Assim foi. Os voluntários chegaram num camião velho, desgastado pelos anos e operações de combate. Passaram em grande velocidade e dirigiram-se em linha reta para o centro do incêndio! Foram mesmo até ao meio das chamas e pararam. Estupefacta a população assistiu a tudo. Os voluntários saltaram todos para fora do camião e começaram a pulverizar freneticamente em todos os sentidos. Como estavam mesmo no meio do fogo, as chamas dividiram-se, e restaram duas porções facilmente controláveis. Impressionado com o trabalho dos voluntários da Vidigueira, o dono do monte respirou de alivio quando viu a sua herdade ser poupada à devastação das chamas. Na hora pôs as mãos na algibeira e passou imediatamente um cheque de 5000 euros à corporação voluntária. Um repórter do jornal local perguntou logo ao comandante dos bombeiros:

- 5000 euros! Já pensou o que vai fazer ao dinheiro?

- Penso que é óbvio, não é? - responde o comandante a sacudir a cinza do capacete - a primeira coisa que vamos fazer é arranjar a porcaria dos travões do camião!