Ignorância

18 / 89

Ausências

Diz o chefe da repartição pública para a sua nova secretária particular:

- Espero que, nas minhas ausências esporádicas, a senhora não fique para aí de braços cruzados.

A funcionária:

- Ah, não senhor! Isto agora com os telemóveis nunca nos aborrecemos…

Mais anedotas de ignorância

65 / 89

Não abriu!

Numa segunda-feira um indivíduo andava muito triste, quando aparece um amigo:

- Então, o que foi que se passou?

- Eu avisei o Joaquim que o povo desta terra é muito religioso.

- Eu sei, já cá estou há vinte anos.

Mas o que é que isso tem a ver com o Joaquim?

- Ele ontem saltou de pára-quedas e morreu.

- O pára-quedas não abriu?

- Exactamente. Apesar de estar cá há pouco tempo, ele já devia saber que nada abre aos domingos...
37 / 89

Um simples voo

Num voo internacional, como é habitual, o comandante do avião liga o microfone e fala aos passageiros:

- Bom dia, senhores passageiros. Neste exato momento estamos a 9 mil metros de altitude, velocidade cruzeiro de 860 Km/hora e estamos a sobrevoar a cidade de... AAAAAAAHHHH... VALHA-ME DEUS...!!!

Os passageiros ouvem um barulho infernal, seguido de um grito pavoroso:

- NÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOO!!!

Depois de um breve momento de silêncio sepulcral, volta a ligar o microfone e, timidamente, diz:

- Peço imensa desculpa, mas a hospedeira deixou cair a bandeja e uma chávena de café caiu-me no colo. Imaginem lá como é que ficaram as minhas calças à frente!

Prontamente, um dos passageiros gritou:

- Filho da m***! Imagina lá como é que ficaram as minhas calças atrás!
2 / 89

Últimas palavras

Um homem está no hospital à beira da morte, cheio de tubos para mantê-lo vivo o máximo possível, mas como parecia que estava nos momentos finais de vida, a família chama o padre para fazer as últimas orações. Quando o padre senta-se ao lado do homem, o estado dele parece piorar rapidamente, e ele pede freneticamente com gestos algo para escrever. O padre dá-lhe um bloco e uma caneta, e o doente escreve algo, sendo que, logo de seguida, acaba por morrer. O padre faz umas orações e guarda o bloco sem ler. No enterro, depois da cerimónia, o padre mexe no bolso e encontra o bloco, e lembra-se de que o homem tinha escrito algo. Ele aproveita a presença de todos e diz:

- O nosso amigo ainda chegou a escrever algo neste bloco antes de morrer. Acho que todos gostariam de saber qual foi o seu último pensamento.

Ele abre o bloco e lê em voz alta:

- Você está a pisar o meu tubo de oxigênio!
www.000webhost.com