Ignorância

78 / 91

Árabes e judeus

O árabe vai à loja do judeu para comprar soutiens pretos.

O judeu, pressentindo bons negócios, diz que são raros e poucos e vende por 40 euros cada um.

O árabe compra 6, e volta alguns dias depois querendo mais duas dúzias.

O judeu diz que as peças vão ficando cada vez mais raras e vende por 50 euros a unidade.

Um mês mais tarde, o árabe compra o que resta por 75 euros cada.

O judeu, curioso, pergunta-lhe o que faz com tantos soutiens pretos.

Diz o árabe:

- Corto o soutien em dois, faço dois chapeuzinhos e vendo aos judeus por 100 euros cada.

Mais anedotas de ignorância

40 / 91

Dois é demais

O chefe de uma empresa foi testar a bondade de seus funcionários: aumentou 500 euros no salário de um deles. Passou um mês assim. No outro mês foi diferente: tirou 500 euros de seu salário. Um dia o funcionário foi reclamar:

- Patrão, por que esse mês foi diferente? Teve algum problema? O senhor tirou 500 euros do meu salário?

- Estranho. No mês passado eu aumentei seu salário 500 euros. Por que você não veio reclamar mês passado?

- Porque um tudo bem, mas dois já é demais!
39 / 91

Um simples voo

Num voo internacional, como é habitual, o comandante do avião liga o microfone e fala aos passageiros:

- Bom dia, senhores passageiros. Neste exato momento estamos a 9 mil metros de altitude, velocidade cruzeiro de 860 Km/hora e estamos a sobrevoar a cidade de... AAAAAAAHHHH... VALHA-ME DEUS...!!!

Os passageiros ouvem um barulho infernal, seguido de um grito pavoroso:

- NÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOO!!!

Depois de um breve momento de silêncio sepulcral, volta a ligar o microfone e, timidamente, diz:

- Peço imensa desculpa, mas a hospedeira deixou cair a bandeja e uma chávena de café caiu-me no colo. Imaginem lá como é que ficaram as minhas calças à frente!

Prontamente, um dos passageiros gritou:

- Filho da m***! Imagina lá como é que ficaram as minhas calças atrás!
12 / 91

Final feliz

Um homem e uma mulher se envolvem num acidente de grandes proporções: os carros são inteiramente destruídos, mas, por sorte, nenhum dos dois fica ferido. Depois de conseguirem sair do que restou dos carros, a mulher diz:

- Olha só! Você, um homem, e eu, uma mulher, saímos ilesos de um acidente destes! Só pode ser um sinal de Deus! Ele está nos dando uma oportunidade para nos conhecermos e ficarmos juntos para o resto da vida!

- Concordo - responde o homem - isto deve ser um sinal divino!

A mulher continua:

- E olha só, um outro milagre: o meu carro ficou totalmente destruído, mas esta garrafa de uísque não partiu! Deve ser outro sinal. Vamos beber e comemorar esta sorte.

E ela entrega a garrafa ao homem. Ele concorda, abre a garrafa, toma alguns goles diretamente da garrafa e devolve o frasco à mulher. Ela a pega, coloca a tampa de volta, e a devolve ao homem. Ele não entende o gesto e pergunta:

- Você não vai querer beber?

- Não! Eu vou esperar que a polícia chegue com o bafômetro...